Central de FIIs

Ifix completa 13ª sessão seguida de ganhos; FII FCFL11 é destaque de alta

O fundo Campus Faria Lima (FCFL11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 1,91%

Por  Wellington Carvalho -

 

O IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – fechou a sessão desta quinta-feira (2) com alta de 0,11%, aos 2.826 pontos. Foi a 13ª sessão seguida de ganhos. Ontem, o índice fechou com alta de 0,09%. O fundo Campus Faria Lima (FCFL11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 1,91%. Confira os demais destaques de hoje ao longo do Central de FIIs.

A área de atuação dos fundos imobiliários deve crescer em breve com a chegada de mais um FII ao mercado. Além dos setores tradicionais – como logística, escritórios, shoppings, entre outros – o segmento de universidades comunitárias entrou no radar dos fundos.

Com oferta inicial prevista para os próximos dias, o FII 3R Renda Educacional surge com o objetivo de investir em instituições de ensino superior sem fins lucrativos e que reinvestem todos os lucros na própria atividade educacional.

Idealizado pela 3R Investimentos – gestora independente com R$ 800 milhões sob gestão – a carteira será a primeira do mercado com foco em universidades comunitárias, afirma Adriano Bernardi, sócio da empresa.

“O objetivo do fundo é comprar imóveis ocupados por universidades comunitárias para explorar o recebimento de aluguéis”, explica. “É o chamado sale and leaseback, em que o vendedor do imóvel continua como inquilino do fundo”, completa Bernardi.

A oferta inicial de cotas do fundo prevê a captação de R$ 150 milhões e é restrita a investidores profissionais – aqueles que têm pelo menos R$ 10 milhões em investimentos ou agentes autônomos e consultores autorizados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Inicialmente, o FII 3R Renda Educacional pretende adquirir participação em prédios de universidades do Rio Grande do Sul. Em um segundo momento, o fundo planeja investir também em unidades na região sudeste.

Os gestores do novo fundo imobiliário projetam uma taxa de retorno com dividendos de aproximadamente 11,5% para os investidores.

Maiores altas desta quinta-feira (2)

TickerNomeSetorVariação (%)
FCFL11Campus Faria LimaOutros1,91
SNFF11Suno FoFOutros1,9
HSLG11HSI LogísticaLogística1,86
ARCT11Riza Arctium Real EstateHíbrido1,78
XPML11XP MallsShoppings1,64

Maiores baixas desta quinta-feira (2):

TickerNomeSetorVariação (%)
CARE11Brazilian Graveyard and Death CareOutros-2,13
VTLT11Votorantim LogísticaLogística-1,64
HFOF11Hedge Top FoF IITítulos e Val. Mob.-1,41
HSML11HSI MALLShoppings-1,2
AFHI11AF Invest CriTítulos e Val. Mob.-1,2

Fonte: B3

BM Brascan Lajes Corporativas pode vender imóveis do fundo; quinta emissão de cotas do Hedge Recebíveis Imobiliários

Confira as últimas informações divulgadas por fundos imobiliários em fatos relevantes:

BM Brascan Lajes Corporativas ( BMLC11) recebe proposta para venda dos imóveis do fundo

O FII BM Brascan Lajes Corporativas anunciou, nesta quarta-feira (1), que recebeu proposta para a venda dos dois imóveis que compõem o portfólio do fundo.

Com uma área bruta locável (ABL) de pouco mais de 7 mil metros quadrados, o fundo é proprietário de dois andares do Brascan Century Corporate, no Itaim, em São Paulo (SP), e quatro andares do Torre Rio Sul, em Botafogo, no Rio de Janeiro (RJ).

De acordo com fato relevante, o BM Brascan Lajes Corporativas recebeu a proposta de R$ 98 milhões pelos espaços. O montante seria pago integralmente até dezembro de 2022.

A administradora, o comitê de investimentos e a gestora do fundo estão analisando a oferta e deverão convocar uma assembleia geral extraordinária (AGE) para discutir o assunto com os cotistas.

Hedge Recebíveis Imobiliários ( HREC11) quer captar até R$ 220 milhões em nova oferta

O fundo Hedge Recebíveis Imobiliários aprovou, nesta quarta-feira (1), a realização da quinta emissão de novas cotas da carteira, que pretende captar até R$ 220 milhões.

O valor unitário das novas cotas foi fixado em R$ 92,68 e a taxa de distribuição será de R$ 3,42, totalizando um preço de subscrição de R$ 96,10.

No fechamento do mercado nesta quarta-feira (1), os papéis do Hedge Recebíveis Imobiliários foram negociados a R$ 97,00, com queda de 0,87%.

De acordo com comunicado do fundo ao mercado, os atuais cotistas terão direito de preferência na oferta. O fator de proporção é de 50%.

Focado no investimento em certificados de recebíveis imobiliários (CRI), o Hedge Recebíveis tem patrimônio líquido de R$ 431 milhões. No próximo dia 14, o fundo depositará R$ 1,30 por cota, o equivalente a um retorno mensal de 1,32%.

Giro Imobiliário: Aposentadoria com dividendos de FIIs? Confira dicas de André Bacci, que vive de renda desde os 33 anos

De professor de informática que ganhava um salário mínimo a investidor que vive exclusivamente com os dividendos recebidos de fundos imobiliários. A trajetória de André Bacci – que deixou de trabalhar aos 33 anos – pode ser uma boa resposta aos que se questionam se é realmente possível se aposentar com FIIs.

Autor do livro Introdução aos Fundos de Investimento Imobiliário, Bacci foi o entrevistado da edição desta terça-feira (31) do programa Liga de FIIs, que teve apresentação de Maria Fernanda Violatti, analista da XP, e Thiago Otuki, economista do Clube FII.

No programa, Bacci detalhou a estratégia utilizada para alcançar a independência financeira com FIIs e deu dicas para quem planeja alcançar o mesmo objetivo. Para os mais pessimistas – que acreditam ser necessário começar com muito dinheiro – Bacci avisa: “Meu patrimônio veio todo do salário que recebi”.

Para chegar ao nível atual, vivendo de dividendos, o “moleque do interior e aluno de escola estadual” – como Bacci se autointitula  – começou simples. No primeiro emprego, como professor de informática, ganhava o equivalente a um salário mínimo.

Mais tarde, conseguiu uma vaga como bancário, mas o salário não mudou muita coisa. “Era o menor cargo que existia na agência”, relembra. Se a receita ainda não era a dos sonhos, a mentalidade de investidor começava a dar sinais, com Bacci conseguindo poupar até 30% do que recebia.

“Um dia eu consegui ir para a área de TI [tecnologia da informação] e meu salário e meio aumentou quase três vezes”, detalha. “A mudança proporcionou uma boa poupança”.

Treze anos depois de começar a poupar e já recebendo dividendos relevantes, o disciplinado Bacci – que então ostentava 33 anos de idade – pediu demissão do trabalho e decidiu viver definitivamente como investidor de fundos imobiliários.

“O que eu fazia pra cuidar do dinheiro virou um hobby e, em 2013, virou a minha profissão principal”, afirma o investidor, que garante ter construído todo o patrimônio com recursos do próprio trabalho. “Teve PLR (participação de lucros e resultados), muitas horas extras, mas meu patrimônio é todo de salário”.

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Compartilhe