Conteúdo Patrocinado
Oferecido por Loft

Loft quer mudar a forma de vender imóveis dando mais força às imobiliárias

Modelo de negócios da startup deve fazer com que as imobiliárias fiquem com até 90% da comissão pela venda das propriedades

Por  MoneyLab -

Existe uma percepção de que comprar um apartamento novo é um processo extremamente complicado. Envolve a busca pelo imóvel ideal, a negociação pelo preço, a procura por condições ideais de financiamento e a burocracia da documentação, por exemplo. Mudar essa jornada envolve mudar também a forma como as empresas que atuam neste mercado operam.

É neste contexto que surgem as startups, com ideias que são consideradas fora da caixa pelas empresas tradicionais. Fundada em agosto de 2018, a Loft é uma dessas empresas da nova geração e que tenta reinventar o mercado. Neste caso, o imobiliário. Para fazer isso, primeiro mudou todo o processo de busca e aquisição de imóveis. Depois, facilitou a transação simplificando o processo de financiamento.

O próximo passo da startup fundada por Mate Pencz e Florian Hagenbuch agora vai além de apenas comprar ou vender apartamentos em algumas das principais cidades do Brasil ou de expandir o negócio para novas praças.

A meta é crescer horizontalmente, expandindo a gama de serviços ofertados em diferentes segmentos. Neste sentido, destaque para aquisições de empresas como a CredPago, que substitui a figura do fiador em contratos de aluguel de imóveis, e a CrediHome, plataforma online de crédito imobiliário.

A longo prazo, o plano é consolidar a companhia como o maior ecossistema imobiliário do Brasil. “Todo o investimento que será feito está focado em melhorar a experiência do consumidor. A compra de um imóvel talvez seja a maior decisão da vida de muita gente”, diz Jardel Cardoso da Rocha, vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Loft e CEO da CredPago.

O caminho para atingir este objetivo ainda é longo, mas já começa a ser trilhado pela companhia que terminou em 2021 com 30 mil apartamentos listados e pretende alcançar a marca de 100 mil imóveis na plataforma até o fim deste ano.

Para fazer isso, o marketplace da companhia que já está disponível em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais vai incorporar ao longo dos próximos meses mais cidades desses estados e chegará também à região Sul, com atuação em Porto Alegre e em cidades vizinhas da capital gaúcha.

Mais imobiliárias e mais tecnologia

Este trabalho de expansão que está sendo coordenado pela Loft envolve mais do que apenas permitir que proprietários listem suas propriedades no site da companhia. Agora, o plano é dar mais espaço na operação para outro elemento fundamental do mercado imobiliário: as imobiliárias.

Isso porque num país que concentra mais de 50 mil imobiliárias e 500 mil corretores, o entendimento da Loft é de que esses agentes do mercado existem por uma razão fundamental para o negócio: o elemento humano. Não há algoritmo que substitua o contato humano. Há, no entanto, tecnologia para torná-los ainda mais eficientes.

A segunda fase do projeto de consolidação da Loft como o maior marketplace do mercado envolve trazer mais imobiliárias para dentro da plataforma e muni-las com ferramentas para que a compra e venda de apartamentos possa ser feita da forma mais fluida possível, sempre considerando todos os lados da equação. Isso cria um canal de vendas maior, mais líquido e vibrante.

Uma das formas de fazer isso será possibilitando que imobiliárias parceiras da Loft, neste modelo de marketplace, possam listar os imóveis gratuitamente na plataforma, receber leads de vendas e finalizar a transação ficando com até 90% da comissão da venda.

É uma forma inédita de operar, já que hoje as imobiliárias podem acabar ficando com percentuais mais baixos em cima das vendas e ainda precisam arcar com custos de divulgação, como o acesso aos portais imobiliários que fazem a exposição.

Em outras palavras, a ideia é dividir o fardo e deixar que cada parte envolvida lide com o que melhor sabe fazer. As imobiliárias farão o contato com o cliente, os corretores levarão o lado humano para o negócio e a Loft vai entrar com a tecnologia para ajudar a precificar os imóveis e o marketing para captar novos clientes.

 

 

Compartilhe