Iniciante

Juntei R$ 8 mil e quero investir na Bolsa, com aportes de mais R$ 300; estou certo?

Jailon Giacomelli, CFP, planejador financeiro certificado pelo IBCPF, responde a pergunta de leitor do InfoMoney

Pergunta:

Tenho 19 anos e em um ano consegui trabalhar e economizar R$ 8 mil no intuito de investir esse dinheiro na bolsa de valores. Além disso, quero todo mês injetar mais R$ 300 a partir do momento que eu começar investir.

Quero saber qual é o melhor meio de investir essa quantia. Eu não ligo muito para riscos. Um auxílio de vocês seria excelente para que eu possa aprender investir e saber quais investimentos são mais lucrativos para quem está começando.

Leitor: Lucas

Resposta de Jailon Giacomelli, CFP, planejador financeiro certificado pelo IBCPF:

Oi Lucas,

Parabéns pela quantia poupada e também pela disciplina em economizar um pouco todos os meses!

Você é jovem, fato este que permite assumir certos riscos nas aplicações, porém sugiro que antes de começar a investir em ações você leia bastante a respeito. Existem diversos cursos, livros interessantes e portais como o da InfoMoney que trazem conteúdo de qualidade para você aprender sobre como aplicar na bolsa de valores e quais os riscos envolvidos.

Para os R$ 8.000,00 que você já possui, recomendo que você:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

• Mantenha R$ 1.000,00 na caderneta de poupança. Essa será uma reserva para emergências com resgate imediato e o objetivo principal é permitir que você possa correr mais riscos com o restante do valor e também com os aportes mensais de R$ 300,00.

• Aplique R$ 3.000,00 em títulos públicos do tipo LFT. Para isso, você precisará fazer cadastro em uma corretora de valores.

• Invista R$ 3.000,00 em títulos públicos do tipo NTN-B Principal, com vencimento em 15/05/2019.

Obs.: Aplicar em títulos públicos é importante para conhecer esta modalidade de investimento! Portanto, leia com atenção o portal do Tesouro Direto na internet (https://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto) e entenda as diferenças entre os títulos.

• Os R$ 1.000,00 restantes, assim como a poupança de R$ 300,00/mês aplique em um fundo de ações do seu banco. Escolha um fundo com a menor taxa de administração possível. Por que fundo do banco? Para aplicar diretamente em ações (via corretora) seria necessário um valor maior de investimento para compensar custos de custódia e transferência. Além disso, até que você entenda os riscos e conheça o mercado de ações, é preferível pagar a taxa de administração. Quando se sentir confortável, você poderá utilizar a mesma conta na corretora que abriu para aplicar nos títulos públicos e começar a comprar e vender ações diretamente, isso lhe dará conhecimento prático de mercado, e é na prática que nós realmente aprendemos, não é mesmo?

Para fazer uma recomendação mais assertiva seria necessário conhecer melhor suas características e objetivos.

Enfim, foque em estudar as aplicações, aprender sobre investimentos financeiros e buscar alternativas diferentes daquelas apresentadas pelo seu gerente do banco. No longo prazo, isso fará toda a diferença no seu objetivo: ganhar dinheiro!

Bons investimentos!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Jailon Giacomelli é planejador financeiro pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF). 

As respostas refletem as opiniões do autor. O IBCPF e o Infomoney não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações. Perguntas devem ser encaminhadas para onde_investir@infomoney.com.br

Prezado Hildebrand, 

Pouco a pouco é possível ver mudanças significativas no perfil de investimento dos brasileiros. Percebemos, por exemplo, o crescimento do numero de jovens que estão disponibilizando parte de sua renda para se planejar financeiramente para a sua aposentadoria. É um movimento que tende a crescer cada vez mais ao longo dos próximos anos, especialmente com a educação financeira em curso em nossa sociedade. 

 Sua iniciativa é digna de receber elogios e servir de exemplo a outros tantos… 

 Como seu planejamento para esse investimento tem um horizonte de 15 anos algumas observações importantes devem ser feitas. Em uma simulação com um investimento inicial de R$ 10.000 e aplicações regulares de R$ 500, com uma rentabilidade anual de 10%, atingiremos após 15 anos um capital de R$ 242.583, sem considerar a inflação no período. Com esse capital investido é possível viver com uma renda de aproximadamente R$ 2 mil/mês, complementando a sua aposentadoria. No entanto, a pergunta magica é como atingir essa rentabilidade para um baixo risco no investimento. 

 Com as informações presentes não é possível identificar qual o seu perfil de investidor, onde seria possível identificar o quanto de risco você esta propenso a aceitar em sua carteira de investimentos (para saber o seu perfil de investidor é aconselhável buscar sua instituição financeira e responder ao questionário “Suitability”). No entanto, podemos considerar que você segue o padrão brasileiro de conservadorismo em seus investimentos, bastante carregado de “renda fixa” , mas propenso a conhecer novos produtos para pequenos investimentos. 

 Sugiro, para você superar a rentabilidade apresentada na simulação, que divida seu patrimônio em 2 partes. 

 A primeira parte é separar R$ 5 mil inicial e 80% de suas aplicações regulares para um fundo de renda fixa com credito privado que supere consistentemente 100% do CDI. Muitos fundos conseguem superar esse benchmark, e possuem aplicações inicias bastante acessíveis. Prefira esse investimento as NTN-Bs e a sua aplicação em imóveis. 

 Para os outros R$ 5 mil iniciais, e 20 % de suas aplicações mensais (R$100,00), podemos ser um pouco mais arrojados, buscando atingir uma rentabilidade superior do que a renda fixa. Como sua disponibilidade atual é pequena para ser investida diretamente em ações (coma na sua atual carteira de ações de Vale e Itau), uma excelente alternativa são os fundos de ações. 

 Os fundos de ações são, para a grande maioria dos investidores, a melhor alternativa para seus investimentos em renda variável. Apresentam vantagens como liquidez, diversificação e uma gestão profissionalizadas dos seus investimentos. Com ele você estará bem atendido para atingir sua meta de longo prazo na aposentadoria. Procure gestoras com comprovada competência em sua equipe de analise, e fundos de ações que sejam considerados “Ibovespa ativo”, com a intenção de superar o bechmark. Prefira esses as ações propriamente ditas. 

 E lembre-se: o resultado do seu sucesso financeiro também depende de você! 

 *Fabiano Pessanha, CFP, planejador financeiro certificado pelo IBCPF 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE