Recomendações

Itaú BBA sugere compra de CSHG Recebíveis (HGCR11), RBR Rendimento (RBRR11) e mais três fundos imobiliários de papel

Considerando cenário de inflação e juros elevados, a casa considera os cinco FIIs boas opções para o primeiro semestre de 2022

Por  Wellington Carvalho

 

Em meio ao ciclo de elevação dos juros e da atual pressão inflacionária, o Itaú BBA reforçou aposta nos fundos imobiliários de “papel” – que investem em títulos de renda fixa – de acordo com relatório divulgado neste domingo (13) e assinado por Larissa Nappo e Marcelo Potenza, analistas da instituição financeira.

No documento, o banco recomenda compra para cinco fundos imobiliários: CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11), Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), Mauá Capital Recebíveis Imobiliários ( MCCI11), RBR Rendimento High Grade ( RBRR11) e o Kinea Índices de Preços ( KNIP11), voltado para investidores profissionais.

“Seguimos confiantes com o setor e acreditando que esses fundos são boas opções para o primeiro semestre de 2022”, afirma Larissa. Na opinião da analista, as altas da taxa básica de juros da economia nacional, a Selic, já vêm beneficiando os proventos dos fundos que possuem ativos indexados à taxa CDI (certificado de depósito interbancário).

No início do mês, o Comitê de Política Monetária (COPOM) do Banco Central elevou a Selic em 1,5 ponto percentual, para 10,75% ao ano. Nesta segunda-feira (14), o mercado financeiro elevou de 11,75% para 12,25% ao ano a expectativa para os juros básicos no final de 2022.

O relatório do Itaú BBA também chama atenção para a pressão inflacionária que, segundo o documento, ainda persiste. O cenário beneficiaria fundos com títulos atrelados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Dos 13 fundos de “papel” monitorados pelo banco, o mais exposto ao indicador é o Kinea Índices de Preços (94%).

Fonte: Itaú BBA

Na seleção dos fundos de “papel”, o Itaú BBA filtrou os FIIs que negociam mais de R$ 1 milhão por dia e com patrimônio líquido maior que R$ 700 milhões. Por questão de restrição e compliance, o Hectare (HCTR11), o Kinea High Yield CRI (KNHY11), o Kinea Securities (KNSC11) e o Vectis Juros Real (VCJR11) ficaram de fora do relatório.

O documento também destaca o crescimento significativo dos FIIs que investem em títulos de renda fixa e recebíveis imobiliários. Hoje, o segmento já responde por mais de 40% do Ifix – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na Bolsa. No final de 2020, a classe representava 30% do indicador.

Atualmente, os fundos de “papel” também se destacam entre os mais negociados na Bolsa. Na lista dos dez FIIs com maior liquidez, oito são fundos de ativos financeiros.

Como viver de renda com FIIs
Receba um ebook gratuito que explica como montar uma carteira de Fundos Imobiliários para obter renda periódica:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe