Ao vivo Petrobras: volatilidade das ações perto da mínima dá oportunidade para ganhar com balanço

Petrobras: volatilidade das ações perto da mínima dá oportunidade para ganhar com balanço

Tesouro Direto e Bolsa

Itaú aumenta carteira de ETFs de renda fixa com dois novos produtos

Novos fundos de índice buscam refletir o desempenho de uma cesta de títulos indexados à inflação e outra de papéis prefixados

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A prateleira de produtos para o investidor conservador ficou ainda mais diversificada. Após o lançamento de seu primeiro ETF de renda fixa em maio, o Itaú Unibanco anunciou nesta segunda-feira (23) o início das negociações na B3 de duas novas versões do produto.

Denominados “IB5M11” e “IRFM11”, os novos fundos de índice do Itaú buscam refletir, respectivamente, os desempenhos dos títulos públicos atrelados à inflação e com prazo igual ou superior a 5 anos (IMA-B 5+) e dos títulos públicos prefixados com prazo médio igual ou acima de dois anos (IRFM P2). Enquanto o primeiro tem taxa de administração de 0,25% ao ano, igual ao custo de custódia do Tesouro Direto, o “IRFM11” vem com uma taxa mais agressiva, de 0,20% ao ano.

Sigla para Exchange Traded Funds, o ETF é um fundo de índice negociado em bolsa composto por uma cesta de ativos, no caso em questão, títulos públicos. Ele permite ao investidor replicar o desempenho de um índice (que pode ser de renda fixa ou variável), sem precisar aplicar individualmente em cada papel, diversificando seu portfólio com uma única operação.

PUBLICIDADE

Para Gilson Finkelsztain, presidente da B3, o lançamento do Itaú marca o início da negociação de dois produtos importantes à disposição dos investidores brasileiros. “Os ETFs representam um excelente instrumento para gestão de portfólio, atende a vários tamanhos de investidores, com preços competitivos. Tenho certeza de que o Brasil está no caminho certo”, escreveu, em nota à imprensa.

Invista melhor o seu dinheiro: abra uma conta gratuita na XP Investimentos