Conteúdo Patrocinado
Oferecido por Remessa Online

Investir no exterior ficou mais fácil e mais barato; veja 5 dicas

Pequenos e médios investidores podem investir no exterior com custos menores utilizando a Remessa Online

Por  MoneyLab -

Estar restrito às fronteiras físicas de um país para investir seu dinheiro não faz mais sentido. É por esse motivo que o interesse por investimentos internacionais vem aumentando, com pessoas descobrindo que é possível enviar dinheiro para investir no exterior de forma prática e segura.

Fatores como desvalorização do Real, inflação em alta e instabilidade política pela frente, ajudaram o brasileiro a tomar a decisão de diversificar os investimentos para aproveitar o momento econômico favorável nas economias mais desenvolvidas, como Estados Unidos e União Europeia, e a fugir das incertezas que derrubam a rentabilidade das aplicações no país.

Instabilidade interna e a maior facilidade no envio de capitais para outros países fizeram o investimento líquido de brasileiros em ativos financeiros no exterior (critério que leva em consideração as aplicações menos os resgates) chegar a US$ 13,72 bilhões no primeiro semestre de 2021, ultrapassando o volume registrado no ano passado inteiro (US$ 11 bilhões), superando também os valores registrados nos anos anteriores, segundo levantamento feito pela Remessa Online, principal plataforma digital  brasileira de transferências internacionais, com base na Balança de Pagamentos.

“O pequeno e médio investidor, que já tem uma carteira diversificada no Brasil, percebeu que pode se proteger dos riscos do país aplicando parte do seu capital em economias mais sólidas”, afirma Alexandre Liuzzi, economista e diretor de estratégia da Remessa Online. “A entrada das fintechs elevou a concorrência com os bancos e trouxe reduções expressivas nos custos dos serviços financeiros, viabilizando investimentos a partir de US$ 500. Quantia ao alcance do pequeno investidor”,  explica.

Perfil dos investimentos
Do total investido por brasileiros em outros países, US$ 9,75 bilhões tiveram como destino fundos, US$ 2,96 bilhões foram aplicados em ações, e US$ 1 bilhão em títulos de dívida. Responsável por cerca de ⅓ dos envios de valores ao exterior feitos por pessoas físicas no país, a fintech Remessa Online registrou um crescimento de 121,92% nas operações destinadas a investimentos em sua base de clientes.

Entre os fatores que levam o pequeno e o médio investidor a tomar a decisão de internacionalizar suas aplicações financeiras estão: proteção cambial ao atrelar o investimento a uma moeda forte; acesso a uma maior variedade de ativos; possibilidade de investir nas maiores e mais inovadoras empresas do mundo.

O mercado norte-americano é o principal destino das aplicações financeiras feitas por brasileiros. O retrospecto para quem está mais disposto a tomar risco é bastante positivo. Um recente levantamento feito pela corretora Necton, a partir de dados coletados pela Bloomberg, mostra que, enquanto o Ibovespa se desvalorizou 18,89% entre 28/12/2018 e 18/11/2021, o índice S&P, da bolsa norte-americana, subiu 89,17% no mesmo período.

Baixo custo

A Remessa Online trouxe o custo das operações de transferências internacionais de dinheiro a patamares nunca antes praticados. “Graças a integração internacional com bancos e plataformas como a Ripple, uma operação como essa chega a ser 75% mais barata do que em bancos. Também somos mais ágeis. Fazemos em poucas horas transações que os bancos chegam a levar dias”, explica Liuzzi.

A inovação em operações financeiras de câmbio permite a Remessa Online ousar mais  uma vez. Na Black Friday, durante duas horas, a empresa vai oferecer aos interessados em investir no exterior uma redução de R$ 0,10 na cotação dólar.

Além do valor menor por dólar transacionado, as pessoas físicas que realizarem suas transferências para investimento entre 10h e 12h, no dia 26 de novembro, terão também isenção total do custo operacional (veja regras).

“Acreditamos que podemos oferecer uma vida financeira global aos brasileiros e vamos mostrar que podemos ir mais longe nessa Black Friday”, completa Liuzzi.

Orientações para investir no exterior

A Remessa Online preparou algumas dicas para ajudar quem tem interesse em investir fora do Brasil. Confira:

  1. Se você já opera com corretora no Brasil e tem uma carteira diversificada com ativos locais, está na hora de começar a olhar para outros mercados.
  2. Pesquise quais são as corretoras no país de interesse que permitem a abertura digital de conta para estrangeiros. Consulte também se a plataforma home broker tem versão em língua portuguesa. Isso pode facilitar não só a tomada de decisão quanto o envio de ordens.
  3. Levar parte do seu investimento para o exterior exige perfil para assumir risco, pois nas economias mais desenvolvidas o mercado de juros não oferece taxas atrativas. Desse modo, ações costumam oferecer as melhores possibilidades de ganhos.
  4. Investir no exterior também é uma forma de se proteger das variações do câmbio e é indicado para quem tem ou planeja ter uma vida fora do país, seja por trabalho, estudos ou devido à mudança de residência.
  5. Quando chegar o momento de enviar o dinheiro para a conta aberta na corretora, pesquise os custos. Nessas operações a alíquota de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é de 0,38%, além do spread, valor cobrado pela instituição financeira para realizar a operação. Esse valor varia drasticamente de um operador para outro, portanto faça simulações antes de decidir por onde enviar seu dinheiro e tenha certeza que não haverá cobrança de taxas adicionais.
  6. Avalie também o tempo que o recurso levará para chegar na sua conta na corretora. Dependendo do país e da instituição escolhida para fazer a transferência, a operação pode levar de poucas horas até dias para estar disponível no destino.

 

 

 

Compartilhe