investimentos

“Investir em conhecimento rende sempre os melhores juros”

De acordo com especialista, conhecer o funcionamento dos investimentos é pré-requisito para poder aplicar

Por  Gabriella D'Andréa

SÃO PAULO – A frase eternizada por Benjamin Franklin, “Investir em conhecimento rende sempre os melhores juros”, pode ser interpretada sob mais de uma forma. Mas a essência, no final das contas, é a mesma: aprimorar seus conhecimentos só traz pontos positivos para a vida de qualquer um, independentemente da área a ser estudada. A constatação também é válida para o mundo dos investimentos. Na opinião unânime de especialistas, aqueles que buscam se informar antes de aplicar seu dinheiro só têm a ganhar mais.

O economista e especialista em investimentos, Richard Rytenband, afirma que buscar mais informações sobre um investimento é um pré-requisito básico. “Como você pode aplicar sem conhecer as regras? Como vai jogar sem saber quem são os jogadores?”, indaga. “É através desse estudo prévio que o investidor vai conhecer as melhores ferramentas para determinar o risco-retorno. Depois de conhecida essa relação, basta separar o joio do trigo”, aponta.

A era da informação possibilita que os investidores saibam em tempo real o que está acontecendo na economia e nos mercados de todo o globo. Além disso, é possível acessar informação de qualidade facilmente, por meio de sites confiáveis, de preferência de instituições conhecidas e que sirvam como fonte “oficial” de notícias. “Em primeiro lugar, é preciso ter o conhecimento do funcionamento dos produtos financeiros e das funções macroeconômicas. O investidor só conseguirá aprender alguns movimentos produzidos no mercado de finanças através desse contexto econômico que os jornais, revistas e sites trazem”, afirma o professor do Ibmec, Gilberto Braga.

Começando a se informar
Uma maneira de começar a conhecer quais são as aplicações existentes e como elas funcionam é entrar nos sites de instituições como a Anbima (Associação das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), a BM&FBovespa e a CVM (Comissão de Valores Mobiliários). As três possuem em seus sites seções específicas com informações didáticas, voltadas principalmente para os investidores que estão começando. Se o investidor preferir, também pode conversar com um especialista em investimentos e consultoria financeira, para auxiliá-lo na tomada de decisões. Bancos, corretoras e outras instituições financeiras costumam disponibilizar estes profissionais para seus clientes.

Outra alternativa recomendada por especialistas para adquirir mais conhecimento são os cursos oferecidos por escolas, entidades e instituições presentes no mercado. É possível escolher os que vão desde o nível básico, sendo que muitos são gratuitos, até o avançado, para aqueles que já têm familiaridade com o assunto. Outra boa notícia é que muitos cursos podem ser realizados on-line, facilitando a vida de quem não tem muito tempo para se deslocar.  Ler livros sobre o assunto, começando pelos básicos e, gradativamente migrar para os mais avançados, é outra opção para adquirir mais conhecimento e, consequentemente melhorar a sua relação com o próprio dinheiro.

E para complementar a teoria, nada melhor do que a prática. Antes de começar a investir seu dinheiro em ações, uma alternativa interessante é utilizar os simuladores (existem vários disponíveis no mercado, todos gratuitos). Assim, você conseguirá  treinar e entender como funciona a compra e venda de ações, e o dia a dia da bolsa de valores. O resultado disso tudo, na maioria das vezes, é um retorno melhor nos investimentos e uma vida financeira mais tranquila.

Compartilhe