Em onde-investir / infomoney-responde

Recebi uma proposta para investir R$ 125 mil em LCA; é uma boa ideia?

Essa quantia, atualmente, está aplicada na poupança

Pergunta:

Sou comerciante e dentro das minhas economias pessoais tenho R$ 150 mil na poupança e tive uma proposta de um banco de muita credibilidade sobre LCA me pagando 92% do CDI isento de imposto de renda. Gostaria de uma opinião à respeito dessa proposta.

Leitor: Walter

Resposta de Lucas Braga, CFP, planejador financeiro certificado pelo IBCPF:

Durante o longo período em que a nossa economia conviveu com altas taxas de juros, a poupança era uma aplicação que satisfazia a grande maioria dos aplicadores. Com a queda da SELIC, os investidores começaram a ficar incomodados com a rentabilidade e o Sistema Financeiro aumentou a oferta de produtos. Com tantas novidades, o investidor menos informado pode se atrapalhar. Mas pensar os nossos investimentos não é uma questão complicada.

Cada aplicação deve ser ponderada sob Risco, Liquidez, Rentabilidade e Tributação. Separando cada um dos fatores fica simples decidir. Portanto, vamos analisar a situação solicitada pelo Sr. Walter. O banco lhe ofereceu uma aplicação na Letra de Crédito do Agronegócio (LCA). A Instituição Financeira emite esse título para captar recursos que depois serão repassados para os participantes da cadeia do Agronegócio. Vamos fazer o comparativo com a poupança:

Risco
Os depósitos em poupança são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito até o limite de R$ 250.000,00, assim como as aplicações em LCA. Neste caso, temos um empate entre investimentos de mesmo risco.

Liquidez

A poupança permite o resgate a qualquer momento, sendo que o rendimento só é creditado na “data de aniversário”. Se fizermos o resgate antes dessa data, perdemos o direito de receber o rendimento daquele mês.Já a LCA terá uma data específica para a liquidação da mesma. Esse prazo pode variar de 30 dias a 2 anos ou mais.

Normalmente o banco emissor pagará taxas maiores para vencimentos mais longos. Em determinados casos, o banco emissor pode realizar a recompra do título ou então negociar no mercado secundário. Nestas situações, o investidor receberá uma rentabilidade menor do que aquela que foi acertada para carregar o título até o vencimento. Neste quesito, vantagem para a poupança.

Rentabilidade
Com a taxa básica de juros SELIC acima de 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% + TR ao mês. Isso faz com que o rendimento da poupança fique entre 65% e 70% do CDI. No caso citado, a rentabilidade da LCA ofertada é de 92% do CDI. Então a rentabilidade da LCA é bem superior.

Tributação
Ambas aplicações são isentas de IOF e Imposto de Renda, portanto não haverá impactos na rentabilidade.

A primeira conclusão a que chegamos desse caso é que aplicar na LCA será mais rentável do que na poupança. Deve-se tomar cuidado com o prazo da LCA para que não haja necessidade de utilizar os recursos antes do vencimento. Então vale negociar com o banco emissor o prazo mais adequado.

Se esse for todo o recurso disponível, não é aconselhável aplicar a sua totalidade na LCA. Deve-se sempre ter algum capital disponível para emergências e obrigações de curto prazo. Neste caso deve-se fazer uma diversificação deixando uma fração do portfolio aplicada na poupança.

Lucas Braga é planejador financeiro pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF). 

As respostas refletem as opiniões do autor. O IBCPF e o Infomoney não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações. Perguntas devem ser encaminhadas para onde_investir@infomoney.com.br


Conheça mais sobre a IBCPF, Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros
http://www.ibcpf.org.br/

 

Contato