Conteúdo Patrocinado
Oferecido por HVM

Incorporadora lança 1º empreendimento híbrido de Campo Grande (MS)

Imponente e conectado às tendências do mercado, Anthology impulsiona desenvolvimento da capital sul-mato grossense

Por  MoneyLab -

A capital de Mato Grosso do Sul está prestes a dar mais um salto de desenvolvimento com a chegada do primeiro empreendimento mixed-use da região, o Anthology. Ele é composto por duas torres sobrepostas, sendo uma corporativa e outra residencial que, mesmo conectadas, possuem acessos privativos e independentes. E o local escolhido para o novo lançamento é o Jardim dos Estados, um dos bairros mais charmosos e tradicionais da cidade.

O Anthology pode ser considerado um marco na história da Capital pois, além de surpreender em design e singularidade, com as assinaturas do escritório internacional de arquitetura Perkins&Will, projeto luminotécnico da renomada Regina Bruni, e paisagismo natural por Rodrigo Oliveira, também foi anunciado para o mercado imobiliário num momento de crescimento econômico.

As projeções estudadas pelo Boletim Focus do Banco Central (BC), e divulgadas ainda no primeiro trimestre deste ano, citavam Mato Grosso do Sul em 3º lugar no ranking de melhor Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Menos de um mês depois, novos dados já anunciavam uma realidade ainda mais positiva. De acordo com a Consultoria MB Associados, mesmo com a pandemia, o estado de MS registrou o melhor desempenho na economia nacional, com alta de 4,9% entre 2020 e 2022, seguido por Tocantins (4,7%) e Goiás (4,5%). A alta foi um reflexo da forte presença do agronegócio no estado.

Deve-se levar em consideração que o agronegócio representa 17,10% de todo PIB estadual e, apesar das dificuldades enfrentadas durante a pandemia, o setor não parou de crescer, com geração de R$19 bi em riquezas para Mato Grosso do Sul em 2022.

O setor do agronegócio, que se destaca no país e impulsiona diretamente a economia local, é acompanhado de perto pela HVM Incorporadora, que aproveitando o bom momento do segmento, lançou seu novo empreendimento com condições diferenciadas para agricultores: flexibilização do cronograma de pagamento alinhado às safras.

A idealizadora do Anthology se mantém atualizada quanto ao mercado e completa sua primeira década de existência com uma coleção de sucesso: são dois empreendimentos entregues, sendo um deles o primeiro studio de alto padrão da região, e mais dois com entregas previstas ainda para este ano, e outros quatro em fase de construção.

O design incorporado ao Anthology revela, de forma sutil, a sintonia com as tendências do setor. Observando as fachadas é possível identificar os brises, que marcam a identidade do prédio. Inspirados nas nervuras das plantas, eles dão movimento para a parte exterior do empreendimento, ajudam no conforto térmico das salas e apartamentos, e seguem o conceito de biofilia já trabalhado pela HVM, criando uma ligação com o paisagismo natural.

Quando se trata de empreendimentos híbridos, o diretor executivo da HVM Incorporadora destaca que a Capital está pronta para alçar voos cada vez maiores. “Essa é uma tendência nos grandes centros e Campo Grande não poderia ficar de fora dessa”, diz Rodolfo Luiz Holsback, que completa: “o mercado imobiliário precisa atender a esse novo nicho, com os complexos de multiuso, facilitando a vida das pessoas.”

Imóveis de luxo em alta
Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), só nos dois primeiros meses de 2022, o país teve aumento de 14% no volume de lançamentos de luxo, seguido por um crescimento de 3,9% nas vendas neste mesmo período.

A Abrainc afirma que o público de alto padrão não se prende a quaisquer questões externas, como política ou projeções econômicas, uma vez que, na verdade, foi no início de 2021 que as taxas de juros alcançaram a mínima histórica de 2%. Esse público, independente das oscilações, mantém a sofisticação e conforto como prioridades na hora de investir.

Assim, pronto para garantir comodidade de alto padrão, o Anthology se divide para agradar diferentes interesses. Os apartamentos residenciais estão disponíveis em dois tamanhos distintos, 112 m² e 167 m², e para as salas corporativas, as opções dos investidores vão de salas que medem de 50 m² até 280 m².

Também ligado às demandas dos novos tempos, o projeto abraça o conceito de “cidade de 15 minutos”, nascido na Europa e desenvolvido pelo urbanista Carlos Moreno. Esse conceito propõe que tudo o que os moradores precisam deve estar à sua disposição numa distância de no máximo 15 minutos, seja com caminhada ou de bicicleta.

Posto em prática, o recurso faz com que os deslocamentos entre residência, trabalho, escola, restaurantes, espaços de lazer, parques e demais, sejam mínimos, otimizando o tempo; opção perfeita para o Anthology, que marca um dos bairros mais completos da cidade quando o assunto é Serviços.

“Queremos unificar a comodidade de morar, trabalhar e usufruir de tudo o que a região oferece, proporcionando mais qualidade de vida, reduzindo deslocamentos e oferecendo uma nova forma de vivenciar a relação entre casa e trabalho, atendendo às novas necessidades urbanas”, conclui Holsback.

Compartilhe