Entenda

HSBC eleva seu preço-alvo para o Banco do Brasil, mas segue com recomendação neutra

Os analistas mostram uma visão de mais cautela com todas as empresas do setor de bancos

SÃO PAULO – O Global Research do HSBC elaborou relatório em que eleva seu preço-alvo para os papéis do Banco do Brasil (BBAS3) de R$ 19,00 para R$ 22,00. Mesmo assim, a indicação dos analistas para a ação é de manutenção.

A equipe de análise comenta que após resultados mistos no segundo trimestre desse ano, ela atualizou suas estimativas para a empresa, de modo a refletir receitas mais altas, controle de custos e uma taxa mais baixa.

Os analistas destacam que a meta da empresa de crescimento de empréstimos em 2016 foi recuada de 4,5% para 0,5% e que a qualidade de recursos dela segue, continuamente, piorando.

PUBLICIDADE

O HSBC ainda afirma que reitera seu viés de cautela para os bancos no Brasil, com recomendação neutra para a maioria deles e preocupações sobre créditos, impactos nas margens de taxas de juros menores.