Confira

Gestor de R$ 28 bilhões diz qual é a ‘melhor aposta’ de investimento do ano

Getsor recomenda opção de investimento para investidor que queira tomar mais risco

SÃO PAULO – O vice-presidente da SulAmérica Investimentos, Marcelo Mello, comentou a principal aposta da gestora no mercado brasileiro no momento atual. O especialista afirma que a companhia está apostando na renda fixa, mais especificamente em títulos prefixados de curto prazo. Para Mello, os títulos prefixados são a “melhor aposta”, especialmente para quem tem mais apetite para risco. A SulAmérica Investimentos tinha sob sua responsabilidade R$ 28,3 bilhões em dezembro do ano passado.

O executivo explica que as maiores altas dos títulos prefixados costumam acontecer quando o governo está prestes a encerrar ciclos de altas na Selic, o que parece ser o caso agora. Além disso, o prêmio oferecido pela curva de juros dessas aplicações no momento atual é bem interessante, mesmo em cenários de altas mais fortes.

Já sobre os títulos atrelados ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), Mello aponta que, talvez, o momento para investir nele já tenha passado, uma vez que a SulAmérica Investimentos trabalha com projeções de que o momento de alta mais forte da inflação tenha sido o primeiro trimestre de 2015. Já para quem não quer correr riscos, a recomendação do vice-presidente é se manter posicionado em títulos atrelados à Selic e, assim, evitar a volatilidade de curto prazo.

PUBLICIDADE

Renda Variável
Já em relação ao mercado de renda variável, o gestor aponta que esse pode ser um momento interessante de alta, principalmente quando se leva em conta que a bolsa brasileira está a um preço muito atrativo em dólar, o que pode chamar atenção do investidor estrangeiro.

Dentro da renda variável, Mello sugere como boas escolhas os setores de empresas exportadoras, que podem se beneficiar com o dólar mais valorizado frente ao real, e bancos, que tendem a se valorizar com o cenário de juros altos. Para ficar de fora, o gestor aponta o setor elétrico, que é muito regulado pelo governo federal.

Riscos
Em relação aos principais riscos para os investimentos no Brasil em 2015, o representante da SulAmérica Investimentos aponta o racionamento de energia elétrica, apesar de estar mitigado por conta das chuvas mais fortes nos últimos meses; rebaixamento da nota de crédito do Brasil pelas agências de classificação de risco; desempenho pior do que o esperado na economia chinesa; risco de crédito com a operação Lava Jato; e o aumento de juros nos EUA.