Central de FIIs

Em mais uma sessão de perdas, fundos imobiliários fecham dia com queda de 0,08%

Entre os destaques positivos de hoje, está o fundo SDI Rio Bravo ([SDIL11), com elevação de 3,78%

Por  Wellington Carvalho -

O IFIX, que reúne os fundos imobiliários mais negociados na Bolsa, fechou a sessão desta terça-feira (15) em queda de 0,08%, aos 2.750 pontos. Ontem, o indicador havia fechado em baixa de 0,35%. Entre os destaques positivos de hoje, está o SDI Rio Bravo (SDIL11), com elevação de 3,78%. Confira os demais destaques da sessão ao longo do Central de FIIs. 

Acompanhando a tendência de janeiro, quando registraram uma queda de 0,99% na média, os fundos imobiliários seguem no negativo no acumulado de fevereiro. O IFIX, que reúne os FIIs mais negociados na Bolsa, registra baixa de 0,86% no mês. Na contramão do indicador, no entanto, os fundos mais recomendados para fevereiro sobem.

Os cinco fundos imobiliários mais recomendados por dez corretoras para este mês, compilados em levantamento realizado pelo InfoMoney, têm alta de 0,22% na média no período. Em fevereiro, 54 fundos imobiliários foram citados pelas instituições financeiras.

Dos cinco FIIs mais recomendados, três apresentam resultado negativo na primeira metade de fevereiro. O Bresco Logística (BRCO11), que é o mais recomendado pelas corretoras há seis meses, apresenta o melhor desempenho, com alta de 3%, seguido do TRX Real Estate, com valorização de 1%. Confira o desempenho dos outros fundos:

Ticker Fundo SetorNúmero de recomendaçõesDesempenho em fevereiro* (%)
BRCO11Bresco LogísticaLogística83,00
TRXF11TRX Real EstateRenda Urbana51,00
HGRU11CSHG Renda UrbanaRenda Urbana5-0,59
KNCR11Kinea Rendimentos ImobiliáriosRecebíveis5-0,89
BTLG11BTG Pactual LogísticaLogística5-1,42

(*) A rentabilidade leva em consideração o período até dia 14 de fevereiro de 2022 e o reinvestimento dos dividendos.

Fonte: Economatica e corretoras (Ativa Investimentos, BB Investimentos, BTG Pactual, Genial, Guide, Itaú BBA, Mirae Asset, Órama, Santander Corretora e Rico)

Com oito recomendações em fevereiro, o Bresco tem na carteira diversificada uma das principais qualidades, de acordo com Larissa Nappo, analista do Itaú BBA.

“O portfólio conta com imóveis de muita qualidade técnica e locatários de baixo risco de crédito, ligados a setores resilientes”, afirma. “A qualidade da carteira imobiliária também protege o fundo contra aumento de vacância”.

No início do mês, o preço da cota do Bresco também era apontado como um dos atrativos do fundo. Segundo as instituições financeiras, os papéis estavam próximos às mínimas históricas e eram negociados com desconto na casa de 17%.

Maiores altas desta terça-feira (15):

TickerNomeSetorVariação (%)
SDIL11SDI Rio BravoLogística3,78
RVBI11VBI ReitsTítulos e Val. Mob.2,43
OUJP11Ourinvest JPPTítulos e Val. Mob.1,61
BCFF11BTG Pactual Fundo de FundosTítulos e Val. Mob.1,58
RBFF11Rio Bravo IfixTítulos e Val. Mob.1,51

 

Maiores baixas desta terça-feira (15):

TickerNomeSetorVariação (%)
RBRL11RBR LogLogística-2,51
FIGS11General ShoppingShoppings-2,21
BLMR11Bluemacaw Renda+ FOFTítulos e Val. Mob.-1,77
RCRB11Rio Bravo Renda CorporativaLajes Corporativas-1,48
BTLG11BTG Pactual LogisticaLogística-1,38

Fonte: B3

Nova emissão do TRX Real Estate II; fim do Mogno Real Estate Impact Development

Confira as últimas informações divulgadas por fundos imobiliários em fatos relevantes:

TRX Real Estate II (TRXB11) quer captar R$ 21 milhões em nova emissão de cotas

O fundo TRX Real Estate II aprovou a segunda emissão de cotas e, inicialmente, pretende captar R$ 21 milhões, de acordo com fato relevante divulgado nesta terça-feira (15).

Segundo o documento, o preço unitário das novas cotas foi definido em R$ 110,86, já considerando a taxa de distribuição de R$ 0,86.

No fechamento do mercado nesta segunda-feira (14), a cota do TRX Real Estate II foi negociada a R 122,96.

Os cotistas com posição no fechamento da sessão desta terça-feira (15) terão direito de preferência, que poderá ser exercido entre os dias 18 de fevereiro e 4 de março de 2022. O fator de proporção é de 7%.

Com patrimônio líquido de R$ 240 milhões, o TRX Real Estate II tem atualmente um portfólio composto por 12 imóveis, espalhados por seis Estados e locados predominantemente para empresas do segmento de varejo.

Cotas do Mogno Real Estate Impact Development (MGIM11) deixam de ser negociadas amanhã

O fundo Mogno Real Estate Impact Development reforçou nesta terça-feira (15) que amanhã é o último dia de negociação das cotas do fundo na Bolsa.

A suspensão da negociação dos papéis faz parte do processo de liquidação da carteira, aprovada em assembleia geral extraordinária, concluída no início do mês.

Os cotistas que mantiverem as cotas após o dia 16 de fevereiro receberão, até 18 de março, os valores referentes à amortização do patrimônio. O montante, que será pago em parcela única, vai ser informado no início do mês que vem.

Considerado um fundo híbrido, que investe em imóveis e títulos do setor imobiliário, o Mogno Real Estate Impact Development teve início em 2020 e tem hoje um patrimônio líquido de R$ 27 milhões. A carteira conta com apenas 59 cotistas.

Dividendos de hoje

Confira quais são os fundos imobiliários que distribuem rendimentos nesta terça-feira (15):

TickerFundoRendimento
BBFI11BBB Progressivo R$                                            24,02
MBRF11Mercantil Do Brasil R$                                              9,50
LPLP11Lago Da Pedra R$                                              9,29
SHPH11Shopping Patio Higienopolis R$                                              4,80
BCRI11Banestes Recebiveis Imobiliarios Fi Imobiliario R$                                              1,25
VRTA14Fator Verità Fundo De Investimento Imobiliário R$                                              1,24
VRTA15Fator Verità Fundo De Investimento Imobiliário R$                                              1,24
VRTA11Fator Verità Fundo De Investimento Imobiliário R$                                              1,24
VRTA13Fator Verità Fundo De Investimento Imobiliário R$                                              1,24
VRTA16Fator Verità Fundo De Investimento Imobiliário R$                                              1,18
CVBI11VBI Cri R$                                              1,12
RBVA11Rio Bravo Renda Varejo R$                                              0,92
ONEF11The One R$                                              0,90
CXTL11Caixa Seq Logística Renda R$                                              0,79
SDIL11SDI Rio Bravo Renda Logística R$                                              0,76
RVBI11VBI Reits Fof R$                                              0,75
QIRI11Quatá Imob Recebíveis Imobiliários R$                                              0,69
VRTA17Fator Verità Fundo De Investimento Imobiliário R$                                              0,58
RCRB11Rio Bravo Renda Corporativa R$                                              0,55
BLCA11Bluemacaw Catuaí R$                                              0,53
DRIT11Multigestão Renda Comercial R$                                              0,51
RBFF11Rio Bravo  FoF R$                                              0,47
RBRS11Rio Bravo Renda Residencial R$                                              0,42
HUSC11Hospital Unimed Sul Capixaba R$                                              0,40
CXCE11BFundo De Investimento Imobiliário Caixa Cedae R$                                              0,37

Fonte: InfoMoney

Giro Imobiliário: Itaú BBA sugere compra de HGCR11, RBRR11 e mais três fundos imobiliários de papel

Em meio ao ciclo de elevação dos juros e da atual pressão inflacionária, o Itaú BBA reforçou aposta nos fundos imobiliários de “papel” – que investem em títulos de renda fixa – de acordo com relatório divulgado neste domingo (13) e assinado por Larissa Nappo e Marcelo Potenza, analistas da instituição financeira.

No documento, o banco recomenda compra para cinco fundos imobiliários: CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11), Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), Mauá Capital Recebíveis Imobiliários ( MCCI11), RBR Rendimento High Grade ( RBRR11) e o Kinea Índices de Preços ( KNIP11), voltado para investidores profissionais.

“Seguimos confiantes com o setor e acreditando que esses fundos são boas opções para o primeiro semestre de 2022”, afirma Larissa. Na opinião da analista, as altas da taxa básica de juros da economia nacional, a Selic, já vêm beneficiando os proventos dos fundos que possuem ativos indexados à taxa CDI (certificado de depósito interbancário).

No início do mês, o Comitê de Política Monetária (COPOM) do Banco Central elevou a Selic em 1,5 ponto percentual, para 10,75% ao ano. Nesta segunda-feira (14), o mercado financeiro elevou de 11,75% para 12,25% ao ano a expectativa para os juros básicos no final de 2022.

O relatório do Itaú BBA também chama atenção para a pressão inflacionária que, segundo o documento, ainda persiste. O cenário beneficiaria fundos com títulos atrelados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Dos 13 fundos de “papel” monitorados pelo banco, o mais exposto ao indicador é o Kinea Índices de Preços (94%).

Como viver de renda com FIIs
Receba um ebook gratuito que explica como montar uma carteira de Fundos Imobiliários para obter renda periódica:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe