Novo Ifix

Fundos imobiliários de “papel” ganham espaço e representam 42% do Ifix; saiba no que investem os 6 que entraram no índice

Na lista dos que deixaram o Ifix, estão três fundos do segmento de lajes corporativas, um de “papel” e um da área educacional

Por  Wellington Carvalho -

A nova composição do IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – entrou em vigor nesta segunda-feira (3) com um fundo a mais do que a carteira que encerrou 2021. O indicador ganhou também novos fundos de “papel”, que já eram maioria no indicador.

A carteira teórica que vai vigorar até o dia 29 de abril de 2022 trouxe a saída de cinco fundos e a entrada de seis. Com a mudança, o Ifix passa a contar com 104 fundos.

A nova composição reforçou o protagonismo dos fundos de “papel” no índice. Este tipo de FII, que investe em títulos de renda fixa e em certificados de recebíveis imobiliários (CRIs), já respondia por cerca de 40% do índice.

Segmentodez/21jan/22
Títulos e Val. Mob.4144
Outros1616
Híbrido1616
Logística1213
Lajes Corporativas129
Shoppings66

Fonte: InfoMoney

Na lista dos que deixaram o Ifix, estão três fundos do segmento de lajes corporativas, um de “papel” e um da área educacional. São eles: CSHG Prime Offices (HGPO11), , Pátria Edifícios Corporativos (PATC11), RB Capital (RFOF11) e o Continental Square Faria Lima (FLMA11). O Rio Bravo Renda Educacional (RBED11), que também deixa a carteira, era o único representante dos FIIs que investe quase exclusivamente em imóveis na área de educação, uma espécie de “lobo solitário do Ifix”.

Leia mais:

Quatro fundos de “papel” entraram no novo Ifix, além de um FoF e um de logística. Conheça um pouco mais cada um deles:

Valora Hedge Fund ( VGHF11)

O Valora Hedge começou a operar em fevereiro de 2021 e hoje conta com uma base de 27.861 cotistas.

Com um patrimônio líquido R$ 314 milhões, o fundo investe principalmente em CRIs, que representam 56% do portfólio atual. A carteira ainda conta com outros títulos de renda fixa e cotas de outros fundos imobiliários.

Do segmento de recebíveis, o fundo é administrado pelo Banco Daycoval e o volume médio diário de negociação do Valora Hedge girava em torno de R$ 840 mil em 2021.

Suno Fundo de Fundos ( SNFF11)

Criado em maio de 2021, o fundo tem o objetivo de investir em cotas de outros fundos de investimento imobiliário e hoje conta com um patrimônio líquido de R$ 215 milhões

Atualmente, as maiores posições do fundo estão no Suno Recebíveis (SNCI11) (6,2%), REC Recebíveis (RECR11) (6,10%) e no Alianza Trust Renda Imobiliária (ALZR11) (5,22%). Entre os tipos de FIIs, os fundos de “papel” respondem por 30% do portfólio do fundo.

Os 30.375 cotistas do fundo tem atualmente um retorno com dividendos de 9,88% em doze meses. O Suno FoF é administrado pelo BTG Pactual e tem liquidez diária de R$ 794 mil.

NCH EQI High Yield ( EQIN11),

Do tipo “papel”, o fundo investe em CRIs e atualmente administra um patrimônio líquido de R$ 138 milhões.

Iniciado em novembro de 2013, o fundo também é administrado pelo BTG Pactual e conta com 7.214 cotistas.

Os recebíveis da carteira do NCH EQI estão 86% indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A liquidez média diária do fundo atualmente na Bolsa é de R$ 540 mil e retorno com dividendos em 12,88% nos últimos12 meses.

AF Invest Cri ( AFHI11)

Com início de operação em abril do ano passado, o AF Invest é mais um fundo que investe em CRIs e administrado pelo BTG Pactual.

De acordo com relatório gerencial de dezembro, a carteira do fundo está 89% indexada ao IPCA. 39% dos recebíveis do portfólio são do tipo High Yield, que oferecem maior risco.

Atualmente, o patrimônio líquido do fundo é de R$ 176 milhões e a base de cotistas está em 5.607. O retorno com dividendos em 2021 ficou em 15,27%.

BlueMacaw Logística (BLMG11)

Com 4.602 cotistas, o fundo imobiliário administrado pela Vortx Distribuidora obtém renda com aluguéis de galpões logísticos ou a com a venda dos imóveis.

O portfólio é composto por quatro imóveis que, juntos, somam uma área bruta locável (ABL) de 285 mil metros quadrados. De acordo com o BlueMacaw Logística, os imóveis estão avaliados em R$ 1 bilhão.

Entre os inquilinos do fundo atualmente estão empresas como a Via Varejo, Toyota, Mercado Livre e Dafiti.

Em 12 meses, o retorno com dividendos do fundo está em 9,3%. A liquidez média do fundo é de R$ 727 mil.

HSI Ativos Financeiros ( HSAF11)

O fundo HSI teve início em setembro de 2020 e investe em CRIs, cotas de outros fundos e títulos de renda fixa. Administrado pela BRL Trust, o fundo tem hoje 4.886 cotistas.

Em novembro, o patrimônio do HSI estava estimado em R$ 166 milhões e a liquidez diária era de R$ 430 mil.

Os CRIs respondem por quase 70% do portfólio do fundo e as cotas de outros FIIs, 23%. Em 12 meses, o retorno com dividendos do HSI ficou em 12,75%.

Maiores participações no Ifix

Fundo com maior peso no índice, o Kinea Índices Preços (KNIP11) aumentou ainda mais a participação na carteira, de 5,9% para 6,7%. Na sequência, aparecem Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), CSHG Logística (HGLG11), Iridium Recebíveis (IRDM11) e Kinea Renda Imobiliária(KNRI11).

A B3 divulga regularmente três prévias das novas composições dos índices: a primeira prévia, no primeiro pregão do último mês de vigência da carteira em vigor; a segunda prévia, no pregão seguinte ao dia 15 do último mês de vigência da carteira em vigor; e a terceira prévia, no penúltimo pregão de vigência da carteira em vigor.

Como viver de renda com FIIs
Receba um ebook gratuito que explica como montar uma carteira de Fundos Imobiliários para obter renda periódica:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

Compartilhe