Em onde-investir / fundos-de-investimento

Conheça o investidor que chegou a US$ 1 milhão aos 40

Investidor ainda teve revés em seus investimentos com imóveis antes de atingir a meta

Dólar
(Shutterstock)

SÃO PAULO – US$ 1 milhão é uma quantia marcante, uma barreira para muitos investidores de todo o mundo. O colunista do site Business Insider que escreve com o pseudônimo Mr. 1500 conta construiu o caminho até o US$ 1 milhão em sua família.

Logo que ele se formou, ele comprou sua primeira casa por US$ 140 mil e começou um plano de aposentadoria. A residência não era bonita, mas após uma reforma, ela ficou mais atraente de alguns anos depois ele vendeu e conseguiu mais de US$ 100 mil em lucro com a venda.

A partir desse momento, ele e sua esposa começaram a fazer a mesma coisa, comprando casas feias, reformando, vendendo e lucrando bastante. Em 2006, no entanto, eles acharam que fariam sua última jogada. Compraram uma casa por US$ 535 mil pensando em vender por US$ 1 milhão.

Reformaram a casa inteira, instalando piso, mudando a cozinha e banheiro, até que veio a recessão de 2008. O valor de casas luxuosas despencou e eles esperaram até 2012 para vender a casa com um lucro de US$ 200 mil, após mais de mil horas de trabalho na reforma. Se não fosse esse contratempo, eles teriam muito mais dinheiro.

Em outubro de 2013 ele teve um dia ruim no trabalho e considerou parar de trabalhar antes dos 62. Foi quando ele checou seu plano de aposentadoria, que sempre contribuía, mas não checava há anos por conta da crise, e descobriu que tinha US$ 586.043. Ele fez as contas de quanto precisava para se aposentar e percebeu que precisaria de 1,5 mil dias para atingir os US$ 1 milhão que garantiriam seu sustento pelo resto da vida.

Ele ficou milionário no dia 28 de novembro de 2014, aos 40 anos. Estava no centro de Chicago quando checou a conta e viu os sete dígitos. Ele não acreditou no que via, principalmente levando em conta seu começo de vida mais humilde.

E como ele chegou em US$ 1 milhão? O colunista afirma que poupar foi sua primeira prioridade, vivendo uma vida modesta, com um carro antigo e cozinhando em casa. Além disso, ele ainda afirma que não tentava “dar uma de esperto” com seus investimentos. Ele chegou a comprar ações, mas atesta que essa é uma ideia perigosa. “Se lembre que, para cada ação que você compra, alguém na outra ponta pensa que esse é um bom momento para vender”, alerta.

 

Contato