Ao vivo Petrobras: volatilidade das ações perto da mínima dá oportunidade para ganhar com balanço

Petrobras: volatilidade das ações perto da mínima dá oportunidade para ganhar com balanço

Investimento

Fundo multimercado da XP com foco em Brasil reabre para aplicações

Reaberto para captação até 30 de agosto, XP Macro Plus rende 9,85%, em 2019, e 12% desde o início, em abril de 2018

SÃO PAULO – Nem as preocupações com uma desaceleração global ou com a disputa comercial entre Estados Unidos e China, nem a retomada mais lenta da economia doméstica estão tirando o foco sobre o Brasil.

Um investimento concentrado na valorização da Bolsa e em posições aplicadas em juros reais no Brasil, na alta do dólar e com uma fatia “vendida” (aposta na queda) no mercado acionário americano compõe a maior parte da carteira da XP em seu fundo XP Macro, carro-chefe da casa, com aproximadamente R$ 2,6 bilhões de patrimônio.

Acrescente ao conjunto operações do tipo long & short no Brasil (posicionadas para a alta e a baixa dos preços dos ativos) e outra em câmbio e juros na América Latina (mais especificamente no México, no Chile e na Colômbia), com pesos de 15% cada. Agora dobre o risco. Eis a carteira selecionada pela equipe da gestora responsável pelo fundo XP Macro Plus para atuar no cenário atual.

PUBLICIDADE

XP Macro Plus foi temporariamente reaberto para captação até o dia 30 de agosto. Com retorno de 9,85% no ano (252% do CDI) e de 12% (144% do CDI) desde o início, em 30 de abril de 2018, o fundo tem o dobro da volatilidade do XP Macro e mira em um retorno de CDI mais 10% ao ano.

Sem expectativa de uma nova recessão nos Estados Unidos e ainda de olho em oportunidades em Bolsa e em juros no Brasil, Bruno Marques, um dos responsáveis pela gestão do fundo, destaca que o consumo global ainda vai sustentar a atividade mundial. “Há um desaquecimento global bem forte muito ligado ao setor de manufatura na China e na Europa, especialmente na Alemanha, mas o resto não está tão mal. Nos Estados Unidos, o varejo cresce acima do potencial”, diz.

Além disso, ele chama atenção para o papel proativo dos bancos centrais, intervindo para ao menos estabilizar as economias. “Mais de 25 bancos centrais vão cortar juros ou expandir seus balanços no segundo semestre.”

Atento à guerra comercial travada entre Estados Unidos e China, Marques diz não esperar um agravamento do conflito para além das disputas em curso, dadas as eleições presidenciais nos Estados Unidos em 2020 e a preocupação chinesa de que protestos como o de Hong Kong se estendam para o país. A insegurança, contudo, ainda deve continuar pesando por muito tempo na cadeia de produção.

Melhora brasileira

No Brasil, diz, a atividade segue fraca, mas as incertezas sobre o aspecto fiscal estão diminuindo, a inflação está sob controle e a taxa Selic deve cair para pelo menos 5% ao ano sob controle. “A política monetária está funcionando”, avalia o gestor da estratégia macro e sócio do Grupo XP.

Para 2020, a XP espera um crescimento do Produto Interno Bruno (PIB) de 2,5%, acima da média do mercado segundo o Relatório Focus, do Banco Central, de 2,20%. No câmbio, o dólar deve ficar no patamar entre R$ 4,00 e R$ 4,30, com uma estabilização a partir do próximo ano, em meio à expectativa de retomada do crescimento.

PUBLICIDADE

O XP Macro Plus é a versão mais agressiva do multimercado XP Macro e opera nos mercados de juros, bolsa e moedas, com foco predominante em Brasil. O fundo demanda aplicação mínima de R$ 25 mil e tem liquidez de resgate em D+61. Segundo a equipe da XP, a intenção da reabertura foi atender a demanda de investidores, que estão buscando produtos com maior volatilidade nesse cenário de juros baixos.

Clique aqui para conferir as informações e relatórios sobre o fundo XP Macro Plus na plataforma da XP Conteúdo.