Startup no mercado de FIIs

Fundo imobiliário de locação residencial sob demanda estreia na Bolsa com alta de 2,5%

Com captação de R$ 57,3 milhões na Bolsa, startup Housi pretende adquirir e administrar imóveis para locação ou venda

arrow_forwardMais sobre
Fonte: Divulgação

SÃO PAULO – Com foco no aluguel de imóveis residenciais sob demanda, o fundo imobiliário Housi estreou na Bolsa nesta terça-feira (3) sob o código HOSI11 e registrou alta de 2,5%, cotado a R$ 98,95. No dia, o Ifix (índice que replica o desempenho dos principais FIIs) teve valorização de 0,46%.

Administrado pela Vortex, o fundo captou R$ 57,3 milhões. Segundo informações da B3, o montante será destinado à aquisição de imóveis residenciais ou comerciais para locação ou venda, a serem administrados pela startup.

Leia também:
JFL, a empresa que está faturando com aluguéis de imóveis a partir de R$ 6.500
OLX anuncia compra Grupo Zap por R$ 2,9 bilhões

A Housi é uma plataforma digital, spin-off da construtora Vitacon, que permite uma flexibilização do tempo de moradia, dando ao cliente a possibilidade de escolha do tempo de permanência, com o mínimo de um dia.

No site, o investidor pode cadastrar seu imóvel, ter o local mobiliado pela empresa e divulgado em diferentes plataformas, como Airbnb e Booking.

Segunda tentativa

Esta não é a primeira vez que a Housi tentar entrar no mercado de capitais. Em 2019, o FII tinha como objetivo uma meta de captação mais ambiciosa, de R$ 350 milhões. Os estruturadores diziam que lançariam o fundo caso atingissem o piso de R$ 150 milhões.

Sem pedidos de reserva suficientes, a decisão foi por alterar o limite mínimo desejado para R$ 50 milhões. Mas a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) suspendeu, de forma temporária a operação, exigindo um tempo maior para que os investidores repensassem seus aportes, dada a mudança dos termos da oferta.

Invista em fundos imobiliários com a melhor assessoria e taxa ZERO: abra uma conta gratuita na Rico