Fundos imobiliários

FII Nossa Senhora de Lourdes (NSLU11) retoma dividendos após quitar dívida de R$ 27 mi, mas distribuição cai quase 70%

Na próxima quinta-feira (7), o fundo depositará R$ 0,49 por cota, aproximadamente um terço do repasse de março

Por  Wellington Carvalho -

 

O FII Hospital Nossa Senhora de Lourdes (NSLU11) retomará na próxima quinta-feira (7) a distribuição de dividendos aos cotistas, interrompida em abril por causa do pagamento da dívida de R$ 27 milhões com a Rede D’Or, locatária do fundo.

De acordo com fato relevante, a carteira depositará R$ 0,49 por cota, equivalente a um retorno mensal de 0,34%. Em março, último repasse antes da interrupção, o fundo pagou R$ 1,53 por cota, retorno de 0,75% no período.

Quem possui cotas da terceira emissão do FII Hospital Nossa Senhora de Lourdes receberá o dividendo proporcional ao período de posse dos papéis.

A oferta de novas cotas foi uma das fontes de recursos utilizada pelo fundo para o pagamento da dívida com a Rede D’Or, inquilina do imóvel que abriga o Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, no bairro do Jabaquara, zona sul de São Paulo (SP).

Além da nova emissão, o fundo utilizou para o pagamento da dívida a reserva de contingência da carteira e aluguéis recebidos do inquilino, que deveriam ser distribuídos como dividendos para o cotista.

Fonte: FII NSLU11

Desconsiderando o valor já pago para a Rede D’Or, o fundo tem hoje um saldo de R$ 2,23 milhões, que permanecerá retido para eventuais despesas com o processo.

O FII Hospital Nossa Senhora de Lourdes ainda tenta evitar que a cobrança de juros, multa e honorários referentes à ação vencida pela Rede D’Or.

“Caso o fundo tenha êxito na ação mencionada, poderá vir a distribuir os próximos rendimentos normalmente”, sinalizava comunicado da carteira ao mercado.

Entenda o caso

Em 2016, a Rede D’Or entrou com ação no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ – SP) pedindo a revisão do valor da locação do imóvel onde funciona o hospital. O entendimento inicial, em 2019, fixou o aluguel em R$ 1,460 milhão, redução de 16,9% na comparação com o então valor vigente.

Como o parecer era provisório, a Rede D’Or seguiu pagando o valor original do aluguel, previsto no contrato, ao longo do restante da tramitação do processo.

Em março de 2022, porém, o TJ – SP confirmou a decisão e determinou a devolução dos valores pagos a mais pela locatária. A restituição foi fixada exatamente em R$ 27,1 milhões.

No fato relevante divulgado nesta quinta-feira (30), os gestores também comunicam que, a pedido do fundo, a Justiça determinou que a Rede D’Or revele o faturamento bruto do hospital Nossa Senhora de Lourdes desde junho de 2017.

Pelo contrato, a locatária teria a obrigação de efetuar o pagamento do aluguel mensal fixo ou de um aluguel variável, que corresponderia a 8% do faturamento bruto mensal – e eventualmente maior do que o montante recebido pelo fundo nos últimos anos.

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Compartilhe