ETFs alcançam volume financeiro recorde em abril

Valor chegou a R$ 942,43 milhões, o maior já registrado; fundos que seguem o Ibovespa representam mais de 86% do total, segundo a BM&F Bovespa

SÃO PAULO – O volume financeiro dos ETFs (Exchange Traded Funds), fundos de índice com cotas negociadas na bolsa de valores, atingiu marca histórica em abril, de R$ 942,43 milhões. O valor é 7,5% superior ao recorde anterior, de R$ 876,25 milhões de fevereiro deste ano.

De acordo com os dados divulgados pela BM&F Bovespa nesta quarta-feira (4), abril também foi um mês de recorde para o volume médio diário movimentado nos ETFs, com a marca de R$ 49,65 milhões. O maior volume que já havia sido alcançado era o de R$ 43,81 milhões, também em fevereiro.

Em abril, foram realizados na bolsa de valores 28.969 negócios com ETFs, em um total de 14.734.230 cotas.

Investidores buscam mais o Ibovespa
O ETF mais negociado no mês passado foi o BOVA11, que segue o Ibovespa (Índice da Bolsa de Valores de São Paulo). No total, foram 25.650 negócios, em um volume financeiro de R$ 814,49 milhões, o que representa mais de 86% do total negociado na bolsa.

O PIBB11, fundo de índice baseado no índice IBrX-50, contou com 1.401 negócios, em um volume financeiro de R$ 80,66 milhões, com representatividade de 8,55% do total.

A bolsa de valores brasileira tem oito fundos de índices sendo negociados, sendo dois deles geridos pelo Itaú e seis, pela BlackRock. Eles são o BRAX11, CSMO11, MOBI11, BOVA11, SMAL11, MILA11, PIBB11 e FIND11.

Investidores institucionais lideram
Entre os investidores que aderem ao ETF, os institucionais se destacam, com 46,3% da participação no mês de abril. Em seguida, estão as instituições financeiras (23,1%), os investidores estrangeiros (21,8%) e as empresas públicas e privadas (1,1%).

A participação das pessoas físicas no volume total dos ETFs foi de 7,7% no mês de abril. Esses investidores se beneficiaram da redução no número de cotas do lote mínimo destes fundos. Elas passaram de cem para dez em agosto do ano passado. Desta forma, um investidor que necessitava de R$ 6.353 para negociar o BOVA11 (cotação de 3 de maio), agora pode fazê-lo com R$ 635,30.

Para investir em um fundo de índice, assim como em uma ação, o investidor precisa procurar uma corretora habilitada pela BM&F Bovespa. 

PUBLICIDADE