Conteúdo editorial apoiado por

“Estratégia morreu”, diz Bill Gross sobre venda de renda fixa antes do prazo

Cofundador da Pacific Investment Management foi pioneiro da estratégia de Retorno Total, que consiste em lucro "na curva" com títulos de renda fixa

Bloomberg

Bill Gross (Misha Friedman/Bloomberg)
Bill Gross (Misha Friedman/Bloomberg)

Publicidade

Bill Gross, que foi pioneiro da estratégia de investimento em renda fixa conhecida como “retorno total” na década de 1980, e que revolucionou o mercado de títulos de dívida nos Estados Unidos, está pessimista com sua criação: segundo ele, ela está extinta.

Ao contrário de outros gestores na época, que optavam por apenas receber os juros de títulos e levá-los até o vencimento, o cofundador da Pacific Investment Management criou um fundo em 1987 para assumir posições ativas em duration, risco de crédito e volatilidade. A ideia era que, mais do que apenas receber pagamentos de cupons, os investidores de títulos também poderiam se beneficiar da valorização dos papéis à medida que as taxas caíssem.

Em relatório publicado nesta quinta-feira (2), Gross observa que a diferença agora é que os rendimentos estão muito mais baixos do que quando ele criou o conceito, deixando os investidores com menos espaço para valorização dos preços dos títulos. Em cerca de 4,6% ao ano, o rendimento do título do Tesouro (Treasury) de 10 anos é muito menor do que o pico de quase 16% em 1981.

Continua depois da publicidade

Em vez de caírem como esperam os mais otimistas, os rendimentos dos títulos de 10 anos provavelmente subirão acima de 5% nos próximos 12 meses, porque o governo está inundando o mercado com dívidas, escreveu Gross. Os EUA estão “tão viciados em dívida” que exigem que o governo aumente o montante de títulos do Tesouro emitidos em até US$ 2 trilhões líquidos por ano para manter a economia funcionando, acrescentou.

“Aqueles que defendem taxas mais baixas têm de contrariar a inexorável subida da oferta do Tesouro e o provável declínio revoltante nos preços dos títulos”, escreveu Gross, que se aposentou da cadeira de gestor de fundos em 2019. “A estratégia de Retorno Total está morta. Não deixe que vendem pra você cotas de fundos de títulos.”

Ao longo de quase três décadas, Gross transformou o Pimco Total Return Fund no maior fundo de títulos do mundo no seu auge, e consolidou a sua reputação como o “rei dos títulos”. Ele foi demitido da Pimco em 2014, após desentendimentos com outros executivos.