Renda fixa

Em dia de maior cautela, títulos do Tesouro Direto sobem nesta quinta-feira

Dados da atividade chinesa estiveram no radar dos investidores, que analisaram ainda número de emprego nos EUA e acompanharam agenda política brasileira

SÃO PAULO – Os títulos públicos negociados no Tesouro Direto apresentavam alta na tarde desta quinta-feira (16), em um dia de maior cautela no exterior.

No noticiário do dia, destaque para a divulgação do desempenho da economia da China, que registrou expansão de 3,2% no segundo trimestre, na comparação anual, após o tombo histórico dos primeiros três meses do ano (-6,8%), provocado pela pandemia do coronavírus. As informações foram divulgadas pelo Escritório Nacional de Estatísticas chinês.

O resultado foi melhor do que a mediana das projeções coletadas pelo jornal The Wall Street Journal junto a economistas, de alta de 2,6% no PIB do segundo trimestre. O crescimento em relação aos três meses anteriores foi de 11,5%.

Nos Estados Unidos, o Departamento de Trabalho informou que o país teve 1,3 milhão de pedidos por seguro-desemprego na semana passada, um pouco acima da expectativa mediana dos economistas compilada no consenso Bloomberg, que era de 1,25 milhão de requisições do benefício durante o período.

Na semana anterior, os EUA tinham registrado 1,31 milhão de pedidos por auxílio-desemprego.

Mercado hoje

No Tesouro Direto, entre os papéis com retorno prefixado, o juro pago pelo título com vencimento em 2026 subia de 6,09%, no pregão anterior, para 6,14% ao ano, nesta tarde, enquanto o prêmio anual oferecido pelo mesmo papel com juros semestrais e prazo em 2031 avançava de 6,63% para 6,70% a.a.

No grupo dos títulos com rentabilidades indexadas à inflação, o papel com vencimento em 2026 pagava uma taxa anual de 2,36% nesta tarde, frente os 2,28% oferecidos anteriormente. Os papéis com prazos em 2035 e 2045, por sua vez, ofereciam um prêmio anual de 3,80%, frente à taxa de 3,78% a.a. na véspera.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta quinta-feira (16):

Fonte: Tesouro Direto

Dia de maior cautela

O resultado do PIB maior que o esperado da China não foi suficiente para manter o otimismo entre os investidores, que acompanharam com preocupação os dados de varejo piores do que o esperado, com uma queda anual de 1,8% no mês passado, além de seguirem de olho nos desdobramentos da epidemia de coronavírus.

No Brasil, após a Câmara buscar protagonismo, o governo apresentará a primeira etapa da sua reforma tributária até sexta, disseram fontes à Bloomberg.

O texto vai tratar da unificação do PIS/Cofins, que servirá como base para a criação de um Imposto sobre Valor Agregado (IVA). A proposta ainda não incluiria a criação de um imposto sobre transações.

Ainda no Congresso, veto de Jair Bolsonaro a artigo do marco do saneamento recebeu críticas, enquanto o Senado aprovou ajuda ao setor aéreo.

Inscreva-se na EXPERT 2020 e acompanhe o maior evento de investimentos – Online e gratuito