Derivativos: opção para sofisticar portfólio exige cuidados

Gilberto Mifano afirma que em momentos de grande volatilidade derivativos são fundamentais, mas é preciso conhecimento

SÃO PAULO – Na hora de sofisticar o portifólio de investimento, principalmente em momentos em que o mercado está muito volátil, os derivativos – instrumentos financeiros vinculados a outros títulos, ou ativos, que lhe servem de referência – são boas opções. Essa é a opinião do ex-presidente do conselho de administração da BM&F Bovespa, Gilberto Mifano.

“As opções sobre ações, contratos futuros sobre o dólar comercial, sobre o índice Bovespa ou sobre a taxa DI são bastante importantes e benéficos para quem quer ampliar seus investimentos. Eu diria que em momentos em que prever os movimentos do mercado se torna bastante difícil, os derivativos, mais do que boas opções, se tornam fundamentais”.

O executivo diz ainda que, mesmo quem, por hora, não está pretendendo mexer em seu portfólio, deveria estudar esse investimento. “Recomendo que todo mundo estude os derivativos, entenda o que eles são, porque mais cedo ou mais tarde vai valer à pena ter derivativos na carteira”.

Boa opção, mas com muito cuidado

Porém, Mifano é categórico ao defender que, na hora de investir em derivativos, é preciso conhecer os produtos.

“Todo investimento exige uma boa dose de conhecimento do investidor, mas os derivativos exigem ainda mais. Na hora de investir, busque apoio de um profissional. Os derivativos são muito usados para proteger o portfólio. Mas para se proteger, o investidor precisa saber quais são os seus riscos”.

E completa: “precisamos evitar o que aconteceu no ano passado. Durante a crise financeira o uso de derivativos deu errado para alguns investidores porque eles avaliaram de forma muito errada seus riscos”.

Ainda segundo o ex-conselheiro, o primeiro cuidado é estudar profundamente o que são e quais são os riscos dessa modalidade, e o segundo é estar sempre amparado por bons profissionais do ramo. “Se eu puder aconselhar alguém, esse conselho é: tome muito cuidado e procure sempre a assessoria de bons intermediários e consultores. E, mesmo com esse apoio, entenda o que está fazendo. Derivativos são bons para especular, mas o risco é muito grande. Por isso, o conhecimento é fundamental mesmo para quem vai ser suportado pelos melhores especialistas”, finaliza Mifano.