Podcast Outliers

De operadores “raiz” a sócios de gestora: Renato Junqueira e Oscar Camargo revelam a estratégia da GAP Asset

Gestores, que trabalham juntos há 21 anos, contam a história e falam de experiências e aprendizados na que é uma das primeiras assets do Brasil

Por  Clara Sodré -

A Gap Asset foi fundada em 1996 e é uma das pioneiras no mercado de gestoras independentes do Brasil. Renato Junqueira e Oscar Camargo, que trabalham juntos há mais de 20 anos, são os dois sócios principais da gestora. Eles foram os convidados do episódio 61 do podcast Outliers, em que falaram do segredo para ter longevidade no segmento.

Isso envolve uma série de pesquisas e adoção de processos de gestão e avaliação de riscos. No fim do dia, no entanto, a preservação do capital é a principal característica no DNA da casa.

O podcast Outliers é apresentado por Samuel Ponsoni, gestor de fundos da família Selection na XP, e Carol Oliveira, coordenadora de análise de fundos da XP.

A história da gestora é dividida em ter três grandes períodos. A casa passou por uma reestruturação em 2018 – que segundo eles, foi uma fase importante para consolidação do modelo de negócio, hoje focado nos fundos multimercados. Dois verdadeiros veteranos no mercado financeiro, Junqueira e Camargo frisam a importância de uma organização baseada na meritocracia.

O foco no longo prazo pede consistência de retornos, e faz 21 anos que Junqueira e Camargo trabalham juntos discutindo temáticas, oportunidades, tamanho das posições, entre outros. Na prática, eles fazem a cogestão de uma estratégia que passou por diversos momentos de mercado.

Para Camargo, o segredo da longevidade está no alinhamento, respeito e, principalmente, confiança. Saber que o outro já se cobra consideravelmente ajuda a não focar no erro, quando ocorre, e sim em procurar maneiras de evitar que as falhas tragam grandes prejuízos ao fundo.

“Não estamos aqui para dar a volta mais rápido”, diz Carmargo.

Em termos de gestão, Oscar conta que a GAP não possui restrição de atuação, nem um foco exclusivo em determinado mercado. Por ser um fundo multimercado do tipo macro, essa liberdade é traduzida em buscas por assimetrias, sem compromisso com limitação ou direcionamento de alocação para uma única região ou produto.

Em termos de operação, Junqueira conta que a GAP direciona sua atuação para dois horizontes de investimentos distintos, buscando a distribuição da probabilidade de esse cenário acontecer ao longo do tempo. O olhar está sempre sobre a agenda de eventos econômicos, os potenciais gatilhos para as temáticas, as fontes de volatilidade. As posições decorrem dos níveis de risco vislumbrados a partir daí. Diferentes cenários e limitações de alocação de riscos são estimados, de modo a assegurar a consistência da estratégia.

As assimetrias do cenário atual

Junqueira e Camargo destacam os últimos três anos como um período que demandou extrema atenção do ponto de vista de gestão. O fato de o mundo ter parado ao mesmo tempo em função da pandemia de coronavírus e os estímulos econômicos “brutais” resultaram na inflação estrutural enfrentada no momento, com um consequente período de retirada de estímulos econômicos, opina Camargo.

O gestor acredita que agora o mais importante é olhar para uma possível recessão nos Estados Unidos, dado o empenho dos Bancos Centrais em desacelerar a economia.

“A gente saiu de um capítulo onde eles evitavam a queda do mercado para um capítulo onde é desejável que ela aconteça”, diz Junqueira. O motivo, segundo o gestor, é que em um cenário de desaceleração econômica, as pressões inflacionarias tendem a se aliviar.

Em abril, quando o episódio foi gravado, os gestores reforçaram que tinham feito uma “virada de alocação”, visto que não enxergavam que os posicionamentos em juros, carregados há um certo tempo, ainda apresentassem alguma assimetria.

Por outro lado, os gestores acreditavam que a Bolsa, sim, continha mais assimetria, e por isso o fundo mantinha posições vendidas, acreditando em uma possível queda dos índices em geral.

 

A entrevista completa e os episódios anteriores podem ser conferidos por SpotifyDeezerSpreakerApple e demais agregadores de podcasts. Além disso, o podcast também está disponível no formato de vídeo no canal da XP no Youtube.

 

Compartilhe