Da Nigéria ao Vietnã: grupo lista países que geram maior risco ao sistema financeiro 

Organização internacional monitora países com deficiências em seus mecanismos de prevenção à lavagem de dinheiro, financiamento de terrorismo e proliferação de armas de destruição em massa

Equipe InfoMoney

Publicidade

Os países recomendados para investimentos estão sempre em destaque nos tópicos e relatórios dos agentes do mercado financeiro. Estados Unidos, Índia, China, Japão e membros da União Europeia são alguns dos nomes que são frequentemente mencionados. No entanto, também existe uma segunda lista — menos prestigiosa, mas igualmente importante: a dos países que representam riscos para os sistemas financeiros.

O Grupo de Ação Financeira Internacional (GAFI/FATF) monitora regularmente alguns países que são considerados deficientes em seus mecanismos de prevenção à lavagem de dinheiro, financiamento do terrorismo e proliferação de armas de destruição em massa.

De acordo com o último comunicado da organização, divulgado em julho de 2024 e reproduzido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Brasil, esses países são notificados para melhorarem suas estratégias. O GAFI apela a essas jurisdições para que concluam seus planos de ação rapidamente e dentro dos prazos acordados, mas não exige a aplicação de medidas de diligência reforçada.

Continua depois da publicidade

Além disso, a organização não impede que investimentos sejam feitos, apenas exige a aplicação de uma abordagem baseada em risco.

Veja quais são os países mais arriscados do mundo para se investir:  

Três países em particular recebem uma atenção especial do GAFI/FATF, com solicitações de diligência reforçada e convocação para a aplicação de contramedidas visando proteger o sistema financeiro internacional.

Continua depois da publicidade

Para esses casos, o grupo internacional faz recomendações para que as nações alinhadas às suas medidas sigam como forma de proteção. Os países são:  

Contramedidas indicadas: encerrar relações com bancos locais; fechar quaisquer subsidiárias ou filiais de bancos da Coreia em seus países; e limitar as relações comerciais e transações financeiras com pessoas que vivem na Coreia.

Até o momento, não há indicação de contramedidas, pois o Irã está em processo de renovar seu compromisso com as convenções do GAFI e está trabalhando em um plano de ação para combater o terrorismo.

Continua depois da publicidade

O plano de ação do país expirou em 2021 e não foi completamente cumprido. A organização considera o progresso lento e solicita atenção para medidas específicas, como garantir a supervisão dos operadores de mercado, investigar casos de lavagem de dinheiro, cooperar em investigações transnacionais de lavagem de dinheiro e gerenciar ativos apreendidos.