Investimentos

Cotistas pedem corte de taxa de administração de fundo imobiliário

Atualmente, a taxa de administração é de 1,5% ao ano sobre o valor de mercado do fundo e os cotistas pedem a redução para 0,60% aa

SÃO PAULO – O Credit Suisse Hedging-Griffo, administrador do fundo imobiliário CSHG Brasil Shopping, comunicou ao mercado, em fato relevante, que os cotistas com mais de 5% do portfólio pediram uma assembleia extraordinária para votar a redução da taxa de administração do fundo.

Atualmente, a taxa de administração é de 1,5% ao ano sobre o valor de mercado do fundo e os cotistas pedem a redução para 0,60% aa.

O fundo imobiliário CSHG Brasil Shopping foi lançado em 2006, período em que a Selic estava em 14,25%. Os cotistas defendem que, na época, o modelo de remuneração não previa cobrança de taxas diferenciadas de estruturação e de distribuição nas emissões de cotas. No entanto, essas taxas passaram a ser cobradas nas 5ª e 6ª emissões realizadas.

PUBLICIDADE

Os investidores citam ainda que outros fundos administrados pelo Credit Suisse Hedging-Griffo lançados após o CSHG Brasil Shopping têm taxas menores. O CSHG Real Estate, de lajes corporativas, foi lançado em 2008 com taxa de 1% aa, e o fundo CSHG Logística, de imóveis logístico-industriais, foi lançado em 2010 com taxa de 0,60% aa.

Em julho, a taxa de administração paga pelos cotistas do fundo imobiliário CSHG Brasil Shopping foi equivalente a 24% dos resultados gerado no mês. Isso faz com que o fundo seja o segundo mais caro em termos de valor da taxa de administração sobre patrimônio líquido, segundo os investidores e levando em considerados os 30 fundos mais relevantes do Índice de Fundos de Investimentos.

Os investidores apontam, em carta enviada à administradora, que a redução da atual taxa de administração de 1,5% aa para 0,60% aa traria potencial aumento de R$ 1,61 nos rendimentos distribuídos pelo fundo por cota, por mês, com base no valor de R$ 2.145/cota, em vigor em julho.