Fundos

“Ganhamos com medo, com o botão ejetar na mão”, diz Bruno Garcia, da Truxt

Os principais riscos no radar do gestor são a possibilidade de volta da inflação no mundo, o descontrole fiscal no Brasil e as disputas geopolíticas

SÃO PAULO – O fundo Long Bias, da gestora Truxt, rendeu 19% no primeiro semestre deste ano, enquanto o Ibovespa caiu 18%.

Na entrevista disponível no link acima, Bruno Garcia, sócio e diretor de investimentos da Truxt, dá os detalhes da estratégia que explica o resultado.

PUBLICIDADE

Uma postura que deu certo foi investir com o pé atrás, pronto para alterar a carteira se o cenário mudasse. “Ganhamos com medo, com o botão ejetar na mão”, afirmou.

Garcia também disse que uma das características da equipe de gestão da Truxt é olhar primeiro o que pode dar errado, antes de analisar o que pode dar certo.

Hoje, os principais riscos no radar do gestor são a possibilidade de volta da inflação no mundo, o descontrole fiscal no Brasil e as disputas geopolíticas. Já uma possível segunda onda de surto de coronavírus não o preocupa.

“Mas o maior risco é aquele que não se conhece, e essa pandemia mostrou isso mais uma vez.”

A entrevista faz parte da série VRB Talks, organizada pelo fundo VRB em parceria com InfoMoney, XP Investimentos, UBS Consenso, Tera Capital e a Turim MFO.

Os gestores Rogério Xavier (SPX), Rodrigo Azevedo (Ibiúna), Fabio Spinola (Apex), Florian Bartunek (Constellation), Waldir Serafim (Navi), Marco Aurelio Freire (Kinea), Alexandre Rezende (Oceana), Mauricio Bittencourt (Velt), Bernardo Feijó (Kapitalo), Gustavo Daibert e Thiago Mendez (ambos da Bahia Asset) e Gustavo Constantino (Távola) já foram entrevistados como parte dessa iniciativa (confira).

PUBLICIDADE

O passo a passo para trabalhar no mercado financeiro foi revelado: assista nesta série gratuita do InfoMoney