Cielo recebe aval para sair da Bolsa; como ficam os acionistas?

Especialistas respondem se a decisão da Opa foi acertada e se vale a pena manter a ação até a realização da Opa

Equipe InfoMoney

(Divulgação/Cielo)
(Divulgação/Cielo)

Publicidade

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou o registro de oferta pública de aquisição (OPA) da Cielo (CIEL3) e, desta forma, deu sinal verde para o fechamento de capital da empresa. O que isso significa e como ficam os acionistas da companhia?

A OPA é realizada quando uma empresa da Bolsa decide deixar de negociar suas ações. Na prática, trata-se da venda dos papéis dos sócios minoritários para os acionistas que detêm as maiores participações, ou para um grupo controlador.

Leia também:

Continua depois da publicidade

No caso da Cielo, a definição do preço inicial da oferta enfrentou resistência dos minoritários e acabou sendo fixado em R$ 5,60 mais a correção pela taxa do CDI até o dia da operação. Hoje, os papéis da empresa estão sendo negociados por R$ 5,70 na Bolsa.

Diante destes valores, vale a pena manter a ação na carteira até a deslistagem da Cielo? Especialistas ouvidos pelo InfoMoney respondem a esta e a outras perguntas sobre a operação.

Por que as empresas optam pela OPA?

As razões que levam uma empresa a fechar o seu capital podem ser diversas. Normalmente, as situações em que ocorrem OPAs estão relacionadas a algum dos aspectos a seguir:

Continua depois da publicidade

O investidor é obrigado a vender suas ações?

O investidor não é obrigado a vender suas ações, afirma Luís Nuin, analista de investimentos. O especialista pondera que, como a grande maioria dos acionistas vai participar da OPA, é recomendável que todos os detentores de ações também o façam.

“As ações [que não forem vendidas] passariam a ser negociadas com baixíssima ou até nenhuma liquidez”, alerta. “Por essa razão, é altamente aconselhável que a totalidade dos investidores participe da OPA”, observa.

Investir antes da Opa pode ser uma oportunidade?

Em recente relatório, Fabiano Vaz, da Nord Investimentos, sugere cautela neste tipo de operação – inclusive para quem já tinha o papel da companhia na carteira.

Continua depois da publicidade

“A OPA deve ser finalizada em meados de agosto”, lembra. “Sendo assim, sugerimos que as posições em Cielo sejam desmontadas de forma gradual e próxima ao valor ofertado de R$ 5,60”, recomenda.

Eduardo Nishio, analista da Genial Investimentos, vai na mesma linha. “Entendemos que é mais vantajoso e menos volátil alocar em instrumentos de renda fixa CDI+”, sugeriu em relatório sobre a empresa.  

Meu preço médio é maior do que o valor da Opa, e agora?

“Se seu preço médio é superior ao valor que foi ofertado, infelizmente, não há muito o que ser feito”, lamenta Nuin. “Como dito acima, suas ações não serão mais negociadas e, portanto, o acionista com preço médio superior à OPA irá amargar o prejuízo”, reforça.

Continua depois da publicidade

Quais os próximos passos da operação?

Após o aval da CVM, os controladores da Cielo terão dez dias para a entrega dos documentos da operação, conforme a linha do tempo traçada pela Genial Investimentos:

*datas estimadas pela Genial de acordo com os prazos previstos na regulamentação da CVM

A opção pela OPA da Cielo foi acertada?

Para Nuin, a Cielo “nadou de braçada” por alguns anos com pouca concorrência e sem a presença de novas tecnologias. No entanto, o setor de atuação da companhia mudou demais nos últimos anos e derrubou a cotação da empresa – que chegou a valer R$ 30 por ação em meados de 2015.

Continua depois da publicidade

“Os intervalos de preço resumem um pouco a trajetória da empresa nos últimos 15 anos em que esteve listada”, reflete o especialista em investimentos. “Com o capital fechado, a Cielo deixa de ter pressão dos investidores por rentabilidade e pode ter tempo para mudar seus rumos”, finaliza.