clubes de investimentos

Cai número de clubes de investimentos cadastrados na Bovespa

De acordo com dados da bolsa, em dezembro do ano passado, 2.852 clubes estavam abertos, número que caiu para 2.658 em junho

SÃO PAULO – O número de clubes de investimentos cadastrados na BM&FBovespa recuou 6,80% nos seis primeiros meses do ano. De acordo com dados da bolsa, em dezembro do ano passado, 2.852 clubes estavam abertos, número que caiu para 2.658 em junho deste ano.

Na mesma linha, a quantidade de investidores que aplicam por meio dos clubes também diminuiu. No final de 2011 havia 115.866 cotistas, enquanto em maio deste ano (data da última atualização deste dado pela bolsa) 95.665 cotistas aplicavam por meio dos clubes.

O volume total investido também diminuiu. Enquanto em dezembro o volume era de R$ 9,021 bilhões, em maio deste ano o total estava em R$ 8,87 bilhões.

Sobre os clubes de investimentos
Investir por meio dos clubes de investimentos é uma alternativa para quem quer aproveitar as oportunidades do mercado de renda variável e possui amigos ou familiares que têm as mesmas intenções. Pelas regras da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o clube precisa ter ao menos três e no máximo 50 participantes.

Para criar um clube de investimento, é preciso ter um administrador – que pode ser uma corretora- e escolher o gestor, que será responsável por todas as ordens de compra e venda enviadas para a corretora.

O gestor é definido pelos próprios cotistas e pode ser um profissional da própria administradora, uma pessoa física contratada, uma pessoa jurídica contratada, ou um representante do clube que possua mais experiência no mercado de ações.