Péssima escolha

Brasileiros conseguem poupar R$ 724,5 bilhões – e colocam no lugar errado

No bolso de cada brasileiro os ganhos com a poupança representam bem pouco - mesmo considerando opções de aplicações igualmente conservadoras

SÃO PAULO – Uma das maiores dificuldades de quem está começando a poupar uma parte da renda para investir é justamente conseguir guardar o dinheiro e não se levar pelas tentações do consumo. Mesmo com o orçamento apertado, os brasileiros conseguiram acumular R$ 724,5 bilhões na caderneta de poupança em fevereiro. O valor é referente ao estoque total de recursos aplicados na poupança divulgado pelo Banco Central divulgados nesta terça-feira (6). 

Em fevereiro, os saques superaram os depósitos em caderneta de poupança em R$ 708 milhões. Questões pontuais, como o pagamento de contas típicas de início do ano, como IPVA e IPTU, ajudam a explicar a saída tradicional de recursos no mês passado. Foi o quarto ano seguido com os saques superando os depósitos, de acordo com o Banco Central.

Apesar da retirada pontual, o saldo de fevereiro ficou acima do resultado de janeiro (R$ 722,4 bilhões). Isto porque o estoque total inclui, além de depósitos e saques, os rendimentos dos valores das cadernetas. Em um primeiro momento, essa pode parecer uma boa notícia: estoque da poupança aumenta R$ 2 bilhões com rentabilidade mesmo após saques.

PUBLICIDADE

Parece muito, mas no bolso de cada brasileiro os ganhos com a poupança representam bem pouco – mesmo considerando opções de aplicações igualmente conservadoras. Diante do novo cenário da taxa de juros, com Selic em 6,75%, a Anefac (Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) fez uma simulação de rendimento da poupança para 12 meses e comparou com outros ativos de renda fixa. Veja:

Aplicação de R$ 10 mil
por 12 meses
Resultado livre
de impostos***
Descontos
PoupançaR$ 10.473,000
CDB de 100% R$ 10.556,8817,5% de Imposto de Renda
CDB de 110% R$ 10.612,9817,5% de Imposto de Renda
Tesouro Selic R$ 10.554,2317,5% de Imposto de Renda
+ 0,03% de custódia (fixa)
Fundos de
investimentos
R$ 10.516,0017,5% de Imposto de Renda
+ 0,5% de taxa de administração (variável)

***Cálculo levou em consideração Selic estável em 6,75%

 Quer investir em CDB que pagam mais de 110% do CDI? Clique aqui e abra sua conta na Rico

Nas quatro comparações com aplicações conservadoras, o investidor consegue ganhos superiores ao da poupança. Qual seria a razão para os brasileiros ainda terem a poupança como aplicação favorita? Segundo a Anbima, 85% dos investidores têm conta na caderneta.

A alegação de boa parte desses investidores  é que a caderneta de poupança é isenta de imposto de renda, o que na teoria poderia significar alguma vantagem em relação ao rendimento. Puro engano. Existem opções bem mais rentáveis que a poupança que também são isentas e algumas delas também contam com a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). 

Isso quer dizer que o investidor tem tranquilidade de buscar aplicações que pagam um rendimento muito maior sem  se preocupar tanto com a questão do risco de crédito, já que se, em último caso, a instituição financeira quebrar, o FGC garante aplicações de até R$ 250 mil (incluindo lucros) por instituição e por CPF – até o teto máximo global de R$ 1 milhão.

PUBLICIDADE
Veja as opções disponíveis e as comparações de rendimentos
ProdutoValor
mínimo
RentabilidadeValor acumulado após 2 anos com investimento de R$ 50 mil***
LCA Banco ABN – FEV/2021*R$ 5.00092,5% do CDIR$ 56.438,67
LCI Barigui Financeira**R$ 30.00097% do CDIR$ 56.761,85
CRI Aliansce – JUN/2022*R$ 1.013,4396% do CDIR$ 56.689,95
CRA Minerva – OUT/2020*R$ 1.031,69103% do CDI*R$ 57.194,19
Poupança70% da Selic + TRR$ 54.841,86

*Produto disponível da plataforma da XP Investimentos
**Produto disponível da plataforma da Rico Investimentos 
***Cálculo levou em consideração Selic estável em 6,75%

Fique de olho nas rentabilidades líquidas. Esses investimentos que são isentos de imposto de renda precisam ser avaliados e comparados da maneira correta com outras aplicações que têm incidência de imposto.

Um CDB que paga 120% do CDI, se o concorrente for uma LCI, por exemplo, ela precisa render mais de 103,2% para ter retorno superior ao do CDB de 120%, mesmo com o imposto de renda incidente sobre os CDBs. Ou seja, nem sempre a ausência de impostos vale a pena no seu bolso no fim das contas. É preciso colocar todas as variáveis na ponta do lápis – e da calculadora – antes de escolher o investimento ideal para você.

 Quer investir em CDB que pagam mais de 110% do CDI? Clique aqui e abra sua conta na Rico