BM&FBovespa: número de reclamações por investidor recua em 2011

Segundo o ombudsman da bolsa paulista, foram registradas 689 reclamações em 2011, uma a cada 886 investidores

Por  Diego Lazzaris Borges

SÃO PAULO – O número de reclamações em relação ao número de investidores cadastrados na BM&FBovespa recuou no ano passado, de acordo com dados do ombusdman da bolsa divulgados nesta sexta-feira (3).

Segundo o relatório, foram registradas 689 reclamações em 2011, uma a cada 886 investidores – no final do ano passado, 611 mil investidores, entre pessoas físicas e jurídicas, estavam cadastrados na Bovespa. Já em 2010, houve 735 reclamações, o que significa uma para cada 836 investidores (à época, a bolsa tinha 615 mil CPFs e CNPJs cadastrados).

De acordo com a Bovespa, a maioria das reclamações veio de investidores pessoa física ou clientes de corretoras. As corretoras lideraram o ranking das instituições com o maior número de reclamações, com 72% da demanda. As demais instituições foram os bancos (18%), a Bolsa (8%) e as empresas (2%).

Produtos/serviços mais reclamados
Os problemas com as ordens de compra e venda de ações lideraram o ranking de reclamações do ano passado. Segundo o ombudsman, foram recebidas 259 reclamações sobre ordens no ano passado, mais de um terço (38%) das 689 reclamações registradas no período. Em 2010, as reclamações sobre esse serviço representaram um percentual menor sobre o total: 24%.

As reclamações sobre dificuldades de transferência de custódia ficaram em segundo lugar, com 92 registros em 2011, equivalente a 13% do total de reclamações. No ano anterior, elas haviam representado 14% do total.

Em terceiro lugar aparece o Home Broker, com 84 reclamações (12% do total).

Compartilhe