BM&F reduz margens de garantia em contratos agro para atrair mais investidores

Criação do Fundo de Operações do Mercado Agropecuário permite a redução dos custos de margem; pequeno investidor é o alvo

SÃO PAULO – Dando mais um passo na direção do pequeno investidor, a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) anunciou, na semana passada, a criação de um fundo que permitirá reduzir as margens de garantia exigidas nos mercados de derivativos agropecuários.

O Fundo de Operações do Mercado Agropecuário funcionará como uma espécie de seguro contra a inadimplência de Membros de Compensação nas operações com derivativos agropecuários, permitindo a redução das margens de garantia exigidas pela bolsa.

“O objetivo é dar mais acesso a quem quer fazer hedge ou investimento”, afirmou Félix Schouchana, diretor de derivativos agropecuários da BM&F.

Antiga demanda das corretoras

A decisão de criar o fundo nasceu de uma antiga demanda das corretoras associadas à BM&F, principalmente as mais ativas no mercado agropecuário, que pediam a redução das margens neste segmento.

Além disso, de acordo com estudo realizado pela própria BM&F, as garantias exigidas por ela eram efetivamente maiores do que as das principais bolsas estrangeiras, fator que também motivou a decisão.

“Esta redução coloca as margens de garantia exigidas pela BM&F no mesmo nível de suas concorrentes”, declarou Schouchana, “mas o rigor contra a inadimplência será o mesmo”, completou.

Igual para todos

As novas exigências de margens balizam todos os contratos negociados pela BM&F, inclusive os mini-contratos negociados pelo webtrading.

“Agora, o investidor pode decidir entre reduzir seu custo de margem ou operar mais contratos” afirmou Schouchana, já que “a margem de garantia não terá um peso tão grande”.

Recursos da BM&F

Aprovado na última quarta-feira (27) pelo Banco Central, o Fundo será inteiramente constituído com recursos da própria BM&F.

PUBLICIDADE

Dos R$ 50 milhões que o compõem, R$ 17,2 milhões serão provenientes das quotas do Fundo de Intermediários Financeiros (FIF) e R$ 6,5 milhões da reversão de provisões por ações judiciais, sendo o restante financiado por recursos do Caixa da BM&F.

A redução das margens de garantia exigidas terá impacto nas margens requeridas nesta segunda-feira, dia 2 de outubro.