Central de FIIs

Em linha com o mercado, fundos imobiliários fecham sessão em queda de 0,36%

Entre os destaques positivos da sessão desta segunda-feira (21), está o Brazil Realty (BZLI11), com elevação de 2,94%

Por  Wellington Carvalho -

O IFIX – índice dos fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – fechou a sessão desta segunda-feira (22) em baixa de 0,36%, aos 2.741 pontos. Entre os destaques positivos do dia, está o Brazil Realty (BZLI11), com elevação de 2,94%. Confira os demais destaques da sessão ao longo do Central de FIIs.

Beneficiados pela elevação dos juros e da inflação, os fundos imobiliários que investem em títulos de renda fixa e recebíveis acumulam, em média, alta de 16,83% nos últimos 24 meses, aponta o índice Teva de FIIs de Papel. No período, o Ifix  caiu 8,8%.

Os últimos dois anos foram marcados pela forte elevação dos preços, especialmente os medidos pelo Índice Geral de Preços Mercados (IGP-M), que chegou a bater 37% nos doze meses encerrados em maio de 2021. Também no ano passado teve início o ciclo de alta da taxa básica de juros da economia nacional, a Selic, que subiu de 2% para os atuais 10,75% ao ano.

Como investem em títulos atrelados a índices de inflação e à taxa do CDI (certificado de depósito interbancário) – que se torna mais atrativa com a alta da Selic – os fundos de “papel” têm se beneficiado da elevação dos indicadores.

Enquanto os fundos de “papel” tiveram alta, os fundos de “tijolo” – que obtêm renda com aluguéis ou venda de imóveis físicos – acumulam queda de 17,61% nos últimos 24 meses, de acordo com dados da Teva Índices, plataforma de informações financeiras, que sempre considera a valorização das cotas e o reinvestimento dos dividendos recebidos.

Nesta segunda-feira (21), o mercado financeiro voltou a elevar a projeção para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) para 2022, que passou de 5,50% para 5,56%.

Maiores altas desta segunda-feira (21):

TickerNomeSetorVariação (%)
BZLI11Brazil RealtyTítulos e Val. Mob.2,94
OUJP11Ourinvest JPPTítulos e Val. Mob.1,72
RBFF11Rio Bravo IfixTítulos e Val. Mob.1,61
FIGS11General ShoppingShoppings1,57
SARE11Santander RendaHíbrido1,18

 

Maiores baixas desta segunda-feira (21):

TickerNomeSetorVariação (%)
RVBI11VBI ReitsTítulos e Val. Mob.-2,74
HGCR11CSHG Recebiveis ImobiliariosTítulos e Val. Mob.-1,59
LVBI11VBI LogisticoLogística-1,42
CVBI11FII VBI CRITítulos e Val. Mob.-1,35
XPPR11XP PropertiesOutros-1,31

Fonte: B3

Dividendos adicionais no FII Edifício Galeria, BB Progressivo regulariza suposta inadimplência e mais assuntos

Edifício Galeria (EDGA11) prevê acréscimo de R$ 0,02 na próxima distribuição de dividendos do fundo

Em fato relevante divulgado na sexta-feira (18), o FII Edifício Galeria informou que não recebeu de alguns locatários o pagamento do aluguel referente ao mês de janeiro. O atraso impactaria a próxima distribuição de dividendos em aproximadamente R$ 0,03 por cota.

Ao mesmo tempo, o fundo anunciou que recebeu o montante de R$ 1,15 milhão da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro (SEC), que ocupava o oitavo andar do Edifício Galeria, localizado na Rua da Quitanda, no Rio de Janeiro (RJ).

Em 2019, o fundo entrou na Justiça para cobrar da SEC aluguéis atrasados do espaço. O processo estava em fase de apuração dos valores atualizados pelo perito judicial. O recurso representará um acréscimo mensal de R$ 0,05 por cota na distribuição de dividendos nos próximos seis meses.

Considerando os dois fatores – o atraso nos aluguéis de janeiro e o recebimento dos valores da SEC – a próxima distribuição do FII Galeria terá um adicional de R$ 0,02 por cota.

Com uma área bruta locável (ABL) de 24 mil metros quadrados, o fundo tem hoje uma taxa de vacância na casa dos 46%, de acordo com relatório gerencial de janeiro.

BB Progressivo (BBFI11B) assina termo de quitação e regulariza suposta inadimplência do Banco do Brasil

O fundo BB Progressivo revisou informações de junho de 2021 que sinalizavam inadimplência do Banco do Brasil, locatária do imóvel Sede I, em Brasília.

No ano passado, o fundo havia reclamado não ter recebido a totalidade do pagamento do aluguel de junho da instituição financeira.

Na sexta-feira (18), porém, a administradora do BB Progressivo verificou que o suposto valor devido foi, na verdade, usado pelo locatário para o pagamento de serviços de manutenção do edifício.

Diante da constatação, o fundo e o Banco do Brasil assinaram termo de quitação concordando com a regularização do saldo devedor.

Suno Recebíveis (SNCI11) aprova emissão de R$ 69 milhões

O fundo Suno Recebíveis Imobiliários aprovou na sexta-feira (18) a realização da segunda emissão de cotas da carteira e pretende captar, inicialmente, R$ 69,3 milhões.

O preço unitário das novas cotas foi definido em R$ 100,25, sendo o valor de R$ 0,25 referente à taxa de distribuição. No fechamento do último pregão, o papel foi negociado a R$ 102,90, com queda de 0,06%.

Os cotistas com posição no fechamento do pregão da próxima quarta-feira (23) terão direito de preferência, que poderá ser exercido entre os dias 25 de fevereiro e 11 de março de 2022. O fator de proporção é de 41%.

Focado no investimento em certificado de recebíveis imobiliários (CRI), o Suno Recebíveis tem hoje um patrimônio líquido de quase R$ 160 milhões e 12.646 cotistas.

Dividendos de hoje

Confira quais são os 16 fundos imobiliários que distribuem rendimentos nesta segunda-feira (21):

TickerFundoRendimento
ANCR11BAncar CIR$ 56,32
TSNC11TransincR$ 37,56
SPAF11SPAR$ 10,39
ARCT11Riza ArctiumR$ 1,50
AFHI11AF Invest CriR$ 1,30
RZAK11Riza AkinR$ 1,30
GAME11Guardian Multiestratégia Imobiliária IR$ 1,20
BLMC11Bluemacaw Crédito ImobiliárioR$ 1,10
BARI11Barigui Rendimentos Imobiliários I R$ 1,10
RECX11REC Fof R$ 1,00
RECX15REC Fof R$ 1,00
AFOF11Alianza FoF R$ 0,96
CORM11Core MetropolisR$ 0,81
OURE11Ourinvest Renda EstruturadaR$ 0,75
OUFF11Ourinvest FoFR$ 0,68
ARCT14Riza ArctiumR$ 0,57
ARCT13Riza ArctiumR$ 0,57
ARCT15Riza ArctiumR$ 0,54
JSRE11JS Real Estate MultigestãoR$ 0,53
ARCT16Riza ArctiumR$ 0,29
OULG11Ourinvest LogísticaR$ 0,17
ARCT17Riza ArctiumR$ 0,10

Fonte: InfoMoney

 

Giro Imobiliário: projeção de IPCA para 2022 sobe de 5,50% para 5,56%, mostra Focus

A mediana apurada para IPCA, o índice de inflação oficial, de 2022 avançou pela sexta semana consecutiva no Relatório Focus, distanciando-se do teto da meta deste ano (5,0%). A estimativa divulgada nesta segunda-feira (21) avançou de 5,50% para 5,56%, de 5,15% há um mês. O objetivo a ser perseguido pelo Banco Central este ano é de 3,50%, com tolerância de 2,0% a 5,0%. Ou seja, o Boletim Focus segue indicando o segundo ano consecutivo de rompimento da meta, após o desvio de 4,81 pontos porcentuais do IPCA de 2021 (10,06%).

Já a expectativa para o IPCA em 2023 ficou estacionada em 3,50%, ainda acima do centro da meta (3,25%, banda de 1,75% a 4,75%). A mediana era 3,40% há quatro semanas.

Considerando as 90 alterações nos últimos cinco dias úteis, a mediana para 2022 também subiu, de 5,53% para 5,59%. Para 2023, as 88 alterações feitas nos últimos cinco dias úteis elevaram levemente a estimativa mediana de 3,50% para 3,51%.

O mercado financeiro não alterou o cenário o cenário para a taxa básica de juros, com a Selic ainda calculada em 12,25% ao final deste ano e em 8,0% no próximo.

Como viver de renda com FIIs
Receba um ebook gratuito que explica como montar uma carteira de Fundos Imobiliários para obter renda periódica:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe