Investimentos

As ações “fora do radar” mais recomendadas para o mês de julho

As ações da Valid foram as mais recomendadas ao aparecerem no portfólio de 7 corretoras

SÃO PAULO – No sétimo mês de 2014, as ações da Valid (VLID3) ficaram em primeiro lugar no ranking InfoMoney de Small Caps mais recomendadas pela terceira vez seguida. Os papéis da companhia apareceram no portfólio de sete corretoras.

Em segundo lugar, ficaram os ativos da Magazine Luiza (MGLU3), com cinco recomendações. Nos últimos dois meses, a companhia também havia ficado na ponta, ao lado da tricampeã Valid.

Já na terceira colocação, seis empresas ficaram empatadas: Cyrela (CYRE3), Cia Hering (HGTX3), Marfrig (MRFG3), Oi (OIBR4), Ser Educacional (SEER3) e Transmissão Paulista (TRPL4). Elas receberam três recomendações cada.

Tricampeã
A Valid, empresa do setor de cartões, sistema de identificação e impressão de segurança recebeu sete recomendações de compra, das corretoras Ágora/Bradesco, Citi Corretora, Gradual, Guide Investimentos, Pax, Souza Barros e Tov.

Os analistas da Citi Corretora afirmam que escolheram as ações da Valid para a carteira dada sua característica defensiva aliada ao potencial de crescimento. “A companhia possui negócios diversificados (cartões magnéticos e de chip, chips SIM para empresas de telefonia e emissão de documentos de identificação no Brasil) e um portfólio de clientes difícil de ser replicado. Além disso, possui exposição ao dólar (20% da receita em US$)”, disse a corretora em relatório.

Metodologia InfoMoney
Ao todo, 26 carteiras de bancos e corretoras foram utilizadas para este levantamento. Os portfólios escolhidos foram: Ativa, BB Investimentos, Bradesco/Ágora, C.I.G.A. Invest, Citi Corretora, Coinvalores, Concórdia, EconoFinance, Geração Futuro, Gradual, Inva, Guide Investimentos, Rico/Octo, PAX, Planner, Quantitas, Santander, SLW, Socopa, Solidez, Souza Barros, TOV, Um Investimentos, Walpires, Wintrade e XP Investimentos.

Entre todas as carteiras publicadas pela InfoMoney em julho, nesta compilação apenas não foram considerados os portfólios com sugestões de ações que tenham perspectiva de pagamento de proventos.

Cabe mencionar que, segundo a BM&FBovespa, “as empresas que, em conjunto, representarem 85% do valor de mercado total da bolsa são elegíveis para participarem do índice MLCX (Mid Large Caps). As empresas que não estiverem incluídas nesse universo são elegíveis para participarem do índice SMLL. Não estão incluídas empresas emissoras de BDRs (Brazilian Depositary Receipts) e empresas em recuperação judicial ou processo de falência”.