preço do ouro

Apesar de queda no mercado internacional, câmbio favorece preço do ouro no Brasil

Desde o início do ano, o preço do ouro subiu 12% na BM&F - o grama estava cotado em R$ 106,49 no dia 15 de junho

SÃO PAULO – Em tempos de crise, quando as incertezas tomam conta dos principais mercados globais, é comum que os investidores procurem ativos considerados “sólidos” e que ofereçam mais segurança. Entre eles está o ouro, que costuma ser utilizado como um porto seguro para os investidores em casos de mercados muito voláteis.

 Entretanto, apesar dos problemas econômicos globais – crise da dívida em países da zona do euro, demora de retomada do crescimento nos EUA e retração da economia da China -, que têm afetado as principais bolsas de valores do mundo, o preço do ouro caiu no mercado internacional este ano. Enquanto em 2011 o metal chegou a custar mais de US$ 1.800 a onça troy (unidade de medida equivalente a 31,10 gramas), a cotação este ano recuou e está atualmente na casa dos US$ 1.620.

 No Brasil, porém,  a situação é diferente. O preço do ouro na BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) já subiu 12% desde o início de 2012 – o grama estava cotado em R$ 106,49 no último dia 15 de junho. De acordo com o Gerente de Negócios da Reserva Metais, Edson Magalhães, a desvalorização do real ante o dólar no período é o principal responsável por esta valorização no mercado doméstico.  “O que compensou, no caso do Brasil, foi o câmbio”, afirma Magalhães. 

Como negociar ouro
A compra de ouro pode ser feita de duas maneiras diferentes. Uma delas é pela BM&F e a outra é pelo mercado de balcão, por meio de empresas autorizadas a operar com o metal.

 Se optar por comprar pela bolsa, é necessário que o investidor tenha conta em uma corretora de valores e os contratos são negociados em lotes-padrão de 250 gramas de ouro ou fracionados, com lotes de 10g. No mercado balcão, por outro lado, o cliente pode investir em barras de 1g até 1kg.

 O fato de ser um ativo aceito em todo o mundo e de ser “sólido” e “palpável” faz do ouro um investimento seguro em épocas turbulentas. “A principal vantagem de investir em ouro é a preservação do seu valor de compra”, diz Magalhães. Já a falta de informações sobre como lidar e acompanhar as oscilações do metal é visto como um impeditivo para o sucesso do investimento.