Em onde-investir / acoes

As 16 ações preferidas dos analistas para investir em janeiro

Analisamos 13 carteiras de investimentos para compilar os ativos mais recomendados pelos analistas para este mês

Ações
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Corretoras de investimentos e instituições financeiras divulgam todos os meses uma seleção de ativos que acreditam ter grande potencial na bolsa nos próximos 30 dias. Para ajudar o investidor, o InfoMoney compilou todas essas informações do mês de janeiro e elaborou um ranking com os papéis mais recomendados para o período.

Assim como em dezembro, os analistas seguem arrojados e confiantes em uma exposição à retomada da economia, do consumo e valorização das ações no mercado doméstico. Um exemplo disso são as posições em papéis de beta mais elevado, como Petrobras e Banco do Brasil, que tendem a subir mais com a valorização do Ibovespa. Ao mesmo tempo, colocam o pé no freio com Suzano, com a expectativa de um 'hedge cambial", ganhando com a alta do dólar.

A favorita dos analistas para janeiro é Petrobras (PETR4), estatal presente nos segmentos de exploração e produção de petróleo em águas profundas e ultra profundas, além de refino, logística, comercialização e distribuição. O papel foi recomendado por 8 das 13 carteiras de investimentos analisadas pelo InfoMoney.

Para surfar a onda de otimismo do governo Bolsonaro, os analistas estão optando por aumentar a exposição a ativos como empresas estatais, que se beneficiam de melhor governança corporativa e varejistas, que aproveitam a queda do desemprego e aumento da confiança do consumidor. Para investir nas ações mais recomendadas, clique aqui e abra uma conta na XP - é de graça!

Papéis de bancos, como Banco do Brasil e Itaú Unibanco, também sobem no ranking, refletindo a expectativa de números mais fortes no primeiro semestre e a expansão do crédito. Além disso, a maior exposição ao mercado doméstico e o potencial de diluição do custo fixo deve beneficiar siderúrgicas, mineradoras e produtoras de commodity, como Suzano, Vale e Gerdau.

Ao mesmo tempo, o papel está exposto ao risco-Brasil, uma vez que tende a apresentar uma recuperação de margem com a melhora da construção civil no país.

Abaixo, compilamos as 16 ações mais indicadas pelos analisas, juntamente com aquelas recomendadas por três carteiras e mostram o apetite dos analistas para outros segmentos, como o do varejo e o e-commerce. Acompanham também as justificativas para a escolha de cada um dos ativos que receberam no mínimo cinco recomendações. Confira:

ações-janeiro19
*Dados obtidos com base nas carteiras recomendadas da XP Investimentos, BB Investimentos, Santander Corretora, Bradesco BBI, Socopa, Coinvalores, Necton, Ágora, Ativa, Elite, Terra Investimentos, BTG Pactual e Guide.

 

Petrobras (PETR4)

Apesar da queda dos preços do petróleo nos últimos meses e da postergação da cessão onerosa, pode gerar uma arrecadação de até R$ 100 bilhões à companhia, a companhia chegou a subir 46,84% em 2018 devido ao rali eleitoral.

Neste ano, a Petrobras deve se beneficiar do novo governo, principalmente por conta da venda de ativos, maior volume de produção e do que ainda pode ser feito lá dentro. Além disso, com o real desvalorizado, a expectativa dos analistas é que a companhia continue a apresentar avanços de margens e maior geração de caixa operacional no 4º trimestre de 2018.

B3 (B3SA3)

A B3, bolsa de valores brasileira, é destaque na carteira por deter uma participação bem consolidada nas plataformas de negociação e pós-negociação de ativos financeiros, assim como por captar importantes sinergias da combinação com a Cetip.

Vale destacar que, apesar de estar exposta e se beneficiar de um ambiente otimista, a B3 também é considerada defensiva, uma vez que possui uma importante diversificação de receitas.

Banco do Brasil (BBAS3)

A posição em Banco do Brasil reforça o otimismo dos analistas sobre o setor bancário brasileiro, assim como sobre as estatais, que devem se beneficiar por boas práticas de governança corporativa e foco em rentabilidade.

Os analistas afirmam que os últimos resultados operacionais têm superado a expectativa do mercado, mostrando uma recuperação da qualidade da carteira de crédito, assim como controle eficiente das despesas administrativas e crescimento das rendas de tarifas - um reflexo do aumento do consumo tanto de produtos quanto de serviços.

Itaú Unibanco (ITUB4)

Os analistas estão confiantes com o case de investimento para Itaú Unibanco, com expectativa de números mais fortes já no 4º trimestre e para o primeiro trimestre deste ano. Segundo eles, os investidores pessoa física de alta renda deverão ser protagonistas conforme aumente o nível de confiança no país. Além disso, esse grupo é alvo de um novo mercado em ascensão, o das LIGs (Letras Imobiliárias Garantidas).

Lojas Renner (LREN3)

Na opinião dos analistas, com o esforço em se tornar uma empresa fast fashion, a Renner tem conseguido reduzir seus custos logísticos e ao mesmo tempo, posicionar sua marca de forma assertiva no concorrido mercado brasileiro de vestuário.

A companhia também tem investido em seu modelo push & pull, sistema de estoque inteligente que abastece as lojas na proporção necessária de oferta e demanda - contribuindo para a sua eficiência operacional e refletindo em sua margem bruta sem abrir mão da disponibilidade de peças aos clientes.

Invista nas ações mais recomendadas pelos analistas: abra uma conta na XP - é de graça!

 

Contato