Em onde-investir / acoes

Gradual Investimentos encerra atividades de Bolsa

A corretora está sendo alvo de investigações da Polícia Federal no âmbito da Operação Encilhamento

Ações
(Shutterstock/Golden House Studio)

SÃO PAULO – A Gradual Investimentos anunciou nesta segunda-feira (14) o encerramento de suas atividades de Bolsa. Até a publicação desta matéria a corretora não havia informado se outras operações também foram descontinuadas - além da área de corretagem de ações, a Gradual também atua com Wealth Management (gestão de fortunas), Câmbio, Administração e Custódia de Fundos de Investimento e Emissão e Escrituração de ativos financeiros.

Por meio do seu site, a Gradual informa que “em virtude do encerramento de suas atividades de Bolsa, realizará tais operações apenas para zeragem e transferências de posições” e disponibiliza um formulário para que o cliente escolha a instituição para a qual deseja que suas posições sejam transferidas.

A corretora ainda solicita que seus clientes “aguardem instruções” sobre os procedimentos

A corretora está sendo alvo de investigações da Polícia Federal no âmbito da Operação Encilhamento – a presidente da Gradual, Fernanda Lima, e seu marido Gabriel Paulo Gouvea de Freitas Junior, que era diretor da corretora, foram presos no início de abril pela PF. Ambos foram soltos algumas semanas depois, após conseguirem uma liminar.

A Operação Encilhamento é a segunda fase da Papel Fantasma, que investiga fraudes na aplicação de recursos de institutos de previdência municipais em fundos de investimento.

60 mil clientes
Em seu site, a Gradual afirma que tem 60 mil clientes e R$ 7 bilhões sob custódia. A corretora foi fundada em 1991.

A reportagem do InfoMoney entrou em contato com a assessoria de imprensa da Gradual, mas a corretora ainda não se manifestou.

 

Contato