Em onde-investir / acoes

2 ações recomendadas na Carteira InfoMoney sobem mais de 20% em janeiro; ainda vale comprar?

Até o fechamento do pregão de segunda-feira, as ações da Braskem acumulam alta de 21,37% e os ativos de Usiminas subiram 23,63% 

SÃO PAULO - Duas das 11 ações que compõem a Carteira Recomendada InfoMoney apresentam valorização de mais de 20% no acumulado de janeiro. Até o fechamento do pregão de segunda-feira (22), as ações da Braskem (BRKM5) acumulam alta de 21,37% e os ativos de Usiminas (USIM5) subiram 23,63%.

Será que ainda dá tempo de seguir a recomendação de compra? De acordo com Thiago Salomão, responsável pela Carteira Recomendada InfoMoney e pelo curso "Como Montar uma Carteira de Ações Vencedora", ainda é um bom momento para comprar as ações da Braskem porque a empresa vem de um período operacional positivo longo e mostrou boa geração de caixa em 2017. 

Como não realizou grandes investimentos, isso abriu a possibilidade de pagar "uma bolada em dividendos". "A Braskem continua gerando caixa e podendo distribuir para os acionistas de uma maneira um tanto previsível. Soma-se a isso as boas notícias que têm saído sobre a empresa. A mais recente foi de que os controladores estão avançando na reorganização societária", conta Salomão. 

A Petrobras informou na sexta-feira (19) que mantém conversas adiantadas com a Odebrecht para a assinatura de um novo acordo de acionistas da Braskem. "Isso pode provocar não só uma troca de controle na Braskem, mas também a conversão de ações em uma única classe São dois eventos positivos para o papel", considera Salomão. 

O analista lembra que a troca de controle geralmente é feita com um prêmio sobre as ações e a conversão das ações traz benefícios para a governança corporativa. 

Outro ponto positivo para a Braskem é o fato de a empresa ser pouco dependente da recuperação da economia brasileira - diferente da Usiminas. Dessa forma, a Braskem tende a sofrer menos se houver surpresas negativas na economia do país.

Do outro lado, Salomão é menos confiante - apesar de se manter otimista - com as ações da Usiminas, porque os papéis já subiram muito. "Ela teve fundamentos para subir em 2017 e é uma das empresas mais alavancadas da Bolsa", destaca.

A queda de juros reduziu drasticamente as despesas que a empresa tinha devido à alta alavancagem. Com a perspectiva de que a economia continue crescimento e a Selic siga em patamar reduzido, a empresa tem espaço para crescer mesmo sem fazer novos investimentos, contando apenas com sua capacidade ociosa. 

"Apesar de todo esse cenário positivo para a empresa, há o risco de a ação já ter subido demais e qualquer surpresa negativa na economia ou na política pode provocar devolução forte. Assim como ela puxou as altas da Bolsa no momento de euforia, pode puxar a queda", alerta Salomão, ponderando que a estabilização dos preços nos últimos pregões deixa a ação da Braskem mais "convidativa" para quem ainda não comprou os papéis. 

Confira a composição da carteira de janeiro:

Ação Ticker Participação
B3 BVMF3 13,7%
Localiza RENT3 12,7%
Petrobras PETR4 10,6%
Smiles SMLS3 12,5%
RD RADL3 10,1%
CCR CCRO3 8,4%
Braskem BRKM5 8,2%
Fibria FIBR3 7,9%
Usiminas USIM5 6%
BRF BRFS3 6%
Eletrobras ELET3 3,7%

Quer investir nas ações da Carteira InfoMoney? Clique aqui e abra sua conta na XP

Em dezembro, a Carteira InfoMoney teve rentabilidade de 6,40%, contra alta de 6,16% do Ibovespa. Veja o detalhamento da carteira no vídeo abaixo:

 

Tudo sobre:  Ações  

Contato