Em onde-investir / acoes

As 10 empresas que mais pagaram dividendos em 2017, segundo a XP

Os dividendos são depositados automaticamente na conta do investidor 

investimento gráfico negócios
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Quem investe no longo prazo em ações muitas vezes escolhe ativos que pagam dividendos elevados para garantir o pé de meia ao longo dos anos. Mas como funciona o pagamento de dividendos?

Também chamados de proventos, os dividendos são depositados automaticamente na conta do investidor. A empresa anuncia o pagamento via Aviso aos Acionistas com a divulgação (i) do valor por ação a ser pago, (ii) do período a que o pagamento se refere, e (iii) a data a partir da qual a ação será negociada sem os proventos, ou “ex-dividendos”.

É importante ressaltar que o fato da ação negociar a um preço mais baixo após o pagamento de proventos não significa que o papel “desvalorizou”.

Veja um exemplo prático: Se uma ação está sendo negociada a R$ 10 e distribuirá proventos de R$ 1 por ação, no dia em que a ação passar a ser negociada ex-direito, o preço será de R$ 9/ação. O R$ 1/ação terá sido creditado na conta corrente do investidor e, portanto, o capital total do investidor continua sendo R$ 10.

Se a ação não se valorizar, o investidor terá o mesmo capital total. Vale destacar que a data ex-dividendos e o pagamento (crédito dos recursos) costumam não coincidir.

A data do pagamento em conta não possui uma regra definida, contudo, costuma ocorrer alguns dias depois do anúncio ou da data ex-dividendos.   

Veja as empresas que pagaram mais dividendos em 2017, segundo levantamento da Economatica e da XP Investimentos*:

  Empresa Código Dividend Yield 2017
Realizado — em %
1  Eztec EZTC3  24,04
2 Comgas  CGAS5  23,05
3 SLC Agrícola  SLCE3   15,32
4 Cia Hering  HGTX3   10,66
5 Smiles  SMLS3  9,98
6 Multiplus  MPLU3   9,82
7 Bradespar  BRAP4   9,62
8 Tupy  TUPY3  9,59
9 Taesa  TAEE11  8,51 
10 ABC Brasil ABCB4  8,24

Fonte: Economatica e XP Investimentos

O dividend yield, ou retorno de dividendos, mostra o quanto o valor pago representa em relação ao preço da ação. Ele é indicador calculado em duas etapas.

Inicialmente, são acumulados todos os proventos pagos em um determinado período, sendo mais comum os últimos 12 meses. Por exemplo, se nos últimos 12 meses a empresa pagou dividendos de R$ 1 por ação e juros sobre o capital próprio de R$ 1,50, o acumulado é de R$ 2,50 por ação.

A segunda etapa consiste em comparar o que este valor representa em relação ao valor da ação. Se o papel está sendo negociado a R$ 25, o retorno de dividendos é de 10%, ou seja, os R$ 2,50 pagos em proventos nos últimos 12 meses divididos pelo valor da ação (R$ 25). Deste modo, pode ser avaliado o quanto, em termos relativos, a ação rendeu em proventos para seus acionistas.

*A metodologia do levantamento leva em consideração todas as ações que negociaram “exdividendos” ao longo de 2017 (em termos monetários) como forma de medir quanto foi distribuído de proventos. Além disso, a amostra está restrita às ações mais liquidas (com no mínimo R$ 5 mi de liquidez diária) e que tenham negociado o ano todo (ex: novas ações/IPOs foram desconsiderados).

Quer investir em empresas que pagam dividendos elevados? Clique aqui e abra sua conta na XP 

 

Contato