Em onde-investir / acoes

5 pechinchas na bolsa para quem tem sangue frio

Pedro Galdi, analista-chefe da SLW, sugeriu as ações da Copel, Odontoprev, Paranapanema, Souza Cruz e Localiza para este cenário

Odontoprev - dentista
(Divulgação)

SÃO PAULO – O Ibovespa, principal índice da bolsa de valores, engata um quarto mês seguido de alta em outubro. Neste mês, até o fechamento de quarta-feira (16), o índice subiu 6,95%, após elevações de 1,64%, 3,68% e 4,66% em julho, agosto e setembro, respectivamente. Essa sequencia positiva ajudou a amenizar os seis meses consecutivos de queda do primeiro semestre, que levou o benchmark de 60.952 pontos para 47.457 pontos, em uma queda de 22,14%, para 8,17% em 2013.

Com essa alta expressiva, principalmente dos últimos dias, a bolsa volta a se tornar um investimento um pouco mais atrativo, principalmente porque, devido às quedas expressivas do começo do ano, muitas ações encontram-se muito baratas em relação a seus múltiplos.

No entanto, vale ressaltar que, segundo Pedro Galdi, analista-chefe da SLW, é bom os investidores ficarem espertos nos próximos dias com as realizações de lucro, devido às grandes altas do índice nos últimos dias. “O Ibovespa subiu muito neste mês e em especial nos últimos dias, por conta da elevação absurda das ações da OGX, que variaram de forma exagerada, como de costume. Como o cenário macro doméstico continua instável, sem nenhuma novidade positiva, e a situação está ficando complicada nos Estados Unidos, não vejo motivos que sustentem essa alta, o que dá abertura para uma realização de lucros”, explicou o especialista.

Apesar deste ‘porém’, aproveitando o bom cenário, o analista sugeriu cinco papéis que estão baratos na bolsa e que podem ser boas apostas, mas só para aqueles que possuem um estômago forte, afinal, elas apresentam risco, ainda mais devido ao cenário citado acima.

Copel
As ações da Copel (CPLE6) foram a primeira recomendação de Galdi para esse cenário. Os ativos da companhia de energia elétrica estão com uma queda acumulada de 2,19% em 2013, até o fechamento de quarta-feira (16). Só neste mês as perdas são de 3,02%.

No entanto, um grande atrativo deste papel é o seu preço, que está muito abaixo de seu VPA (Valor Patrimonial por Ação). Enquanto uma ação da Copel está custando R$ 30,20, o múltiplo mostra um valor de R$ 46,26, o que constitui um P/VP (Preço da ação dividido pelo Valor Patrimonial por ação. Informa quanto o mercado está disposto a pagar sobre o Patrimônio Líquido da empresa) de 0,65, considerado baixo.

Já o seu P/L (Preço da ação dividido pelo lucro por ação) já não é dos mais atrativos, visto que está em 9,82. O valor deste múltiplo indica o número de anos que se levaria para reaver o capital aplicado na compra de uma ação, através do recebimento do lucro gerado pela empresa, considerando que esses lucros permaneçam constantes.

Em seu último balanço, divulgado no dia 30 de junho, a companhia apresentou um lucro líquido de R$ 841,489 milhões e um EBIT (lucro antes dos impostos e juros) de R$ 1,459 bilhão (referente aos últimos 12 meses).

Odontoprev
A segunda recomendação de Galdi são as ações da Odontoprev (ODPV3). Diferente da Copel, esta companhia não está com um VPA atrativo, muito pelo contrário. Enquanto uma ação da Odontoprev está custando R$ 9,37, o múltiplo mostra um valor de R$ 1,27, o que constitui um P/VP de 7,37, considerado alto.

O atrativo destes ativos está na queda acumulada de 2013, de 10,25%, considerada exagerada, levando em consideração a situação da companhia e seus últimos resultados. Só neste mês as perdas são de 3,7%.

Essa queda pode ser considerada alta demais pelo fato de seu P/L estar bem alto, o que indica um resultado positivo do lucro líquido, apesar de indicar que a ação está cara, como já mostra o outro múltiplo. O valor deste múltiplo ficou 31,28, de acordo com o último balanço, divulgado no dia 30 de junho.

Na última safra de balanços corporativos a companhia apresentou um lucro líquido de R$ 159,165 milhões e um EBIT de R$ 255,338 milhões (referente aos últimos 12 meses).

Paranapanema
A terceira recomendação do especialista foi as ações da Paranapanema (PMAM3), que estão com um VPA atrativo, que quase iguala o preço dos ativos: R$ 4,58 contra R$ 4,68, o que resulta em um P/VP de 1,02, considerado atrativo, apesar de um pouco acima de 1 (abaixo de 1 é o ideal neste tipo de análise).

Já o múltiplo P/L, não está nem um pouco atrativo. Um P/L baixo é bom, pois indica que as ações estão baratas, mais um P/L negativo, não, pois mostra que a empresa não teve lucro líquido no último trimestre, mas sim prejuízo líquido. Esse é o caso da Paranapanema, que está com um P/L de -16,71, devido a um prejuízo líquido de 89,382 milhões e um EBIT positivo de 125,351 milhões (referente aos últimos 12 meses).

As ações da companhia estão com uma queda de 8,06% em 2013 e de 5,39% em outubro.

Souza Cruz
Outra ação que já caiu bastante neste ano e foi recomendada pelo especialista foi a Souza Cruz (CRUZ3), que perdeu 13,56% até o fechamento.

Apesar da queda exagerada, levando em conta um P/L de 23,11, o VPA da companhia está bem distorcido em relação ao preço da ação. O valor patrimonial da companhia é de R$ 1,57 enquanto o papel está custando R$ 25,54, o que representa um P/VP de 16,26.

O último resultado da empresa, divulgado em 30 de junho, apresentou um lucro líquido de 1,689 bilhão e um EBIT de 2,336 bilhões (referente aos últimos 12 meses).

Localiza
Por fim, Galdi recomendou a Localiza (RENT3). A companhia apresentou um ótimo resultado em junho, com lucro líquido de 349,774 milhões e um EBIT de 588,682 milhões (referente aos últimos 12 meses). Os bons números levaram seu P/L a 21,28.

Em 2013, os ativos da locadora de veículos valorizaram 1,96%, até o fechamento de quarta-feira (16). No mês a alta foi de quase 10%.

Em relação ao múltiplo VPA, os preços das ações estão um pouco elevados, mas contém um grande potencial de valorização, que já começou a se manifestar no início deste mês. Os ativos custam R$ 35,15, contra um VPA de R$ 6,90, o que resulta em um P/VP de 5,09.

 

Contato