Mercado dinâmico

72% dos investidores planejam ajustar o portfólio antes das eleições nos EUA, mostra pesquisa do UBS

Segundo levantamento, setores de saúde, tecnologia 5G e destinados à sustentabilidade estão entre os preferidos nos próximos seis meses

I vote today stickers roll, in US elections on American flag.
(Joaquin Corbalan/Getty Images)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em um cenário já tumultuado pela pandemia de coronavírus, as eleições presidenciais nos Estados Unidos, que acontecem no dia 3 de novembro, agregam uma incerteza adicional para o mercado financeiro. Neste contexto, investidores têm se movimentado para ajustar posições na carteira.

Segundo a pesquisa “Investor Sentiment”, elaborada pelo banco suíço UBS, 72% dos investidores ao redor do mundo consideram mudar suas alocações antes do resultado eleitoral. A pesquisa foi feita entre os dias 22 de setembro e 12 de outubro com mais de 4 mil investidores e empresários de 14 mercados globais.

Além disso, após o resultado das urnas, 62% planejam realizar mudanças adicionais, segundo o levantamento do UBS.

Aprenda a investir na bolsa

Nessa movimentação de carteira, os temas de saúde e de tecnologia 5G despontam como as principais alternativas no radar dos investidores, com 62% das menções cada, seguidos pelos investimentos destinados à “green recovery“, ou seja, com políticas socioambientais e de governança, apontados por 56% dos entrevistados.

Ainda de acordo com a pesquisa, a maioria dos investidores (54%) aposta na vitória do candidato democrata Joe Biden.

Investidores mais otimistas

Apesar dos relevantes impactos econômicos da pandemia de coronavírus e da alta volatilidade dos mercados globais, 55% dos investidores estão otimistas com o desempenho de suas próprias regiões nos próximos 12 meses.

Por Dentro dos Resultados
CEOs e CFOs de empresas abertas comentam os resultados do ano. Cadastre-se gratuitamente para participar:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

“Dada a incerteza sobre as eleições americanas e a Covid-19, os investidores parecem estar mais otimistas com suas próprias regiões do que com o mundo como um todo. Nesse período pré-eleitoral, acreditamos que os investidores devem diversificar globalmente e evitar concentrar tudo em seus próprios países”, escreveu, em nota, Iqbal Khan, co-presidente do UBS Global Wealth Management.

Nos EUA, 50% dos participantes da pesquisa disseram estar otimistas com a atividade da região, acima dos 41% registrados três meses atrás. Para as ações, 55% acreditam em ganhos à frente, resultado também acima dos 44% do levantamento anterior.

O país é tido como o mais atrativo para se investir, segundo 49% dos investidores ao redor do globo, mostra a pesquisa do UBS.

PUBLICIDADE

Já na América Latina, 62% disseram estar otimistas com a economia da região e 60%, com o mercado de ações.

Do total de entrevistados na região, 81% consideram mudanças no portfólio antes das eleições americanas e 73% planejam fazer mudanças adicionais com base nos resultados de 3 de novembro – a maior fatia ao redor do mundo.

Série gratuita do InfoMoney explica a hora certa de entrar e sair de ativos na Bolsa: clique aqui e aprenda como vencer os tubarões do mercado com consistência e segurança