Conteúdo Patrocinado

3 Ações para comprar ainda em 2021 após o tombo da Bolsa

Volatilidade intensa com sobe-e-desce dos papéis na B3 faz parte da dinâmica de mercado, observa o time da casa de análise de investimentos Levante

arrow_forwardMais sobre
follow-on oferta subsequente de ações
(Crédito: Shutterstock)

A queda do Ibovespa, que já perdeu mais de 10% desde as máximas de 130 mil pontos alcançadas em agosto, abriu oportunidades em ações de boas empresas pensando no longo prazo, na visão de analistas, apesar das incertezas nos cenários externo e interno.

Volatilidade intensa com sobe-e-desce dos papéis na B3 faz parte da dinâmica de mercado, observa o time da casa de análise de investimentos Levante, que reúne um time experiente de analistas fundamentalistas e técnicos.

Para eles, é consenso de que há empresas muito bem geridas com preços atrativos, mas convém cautela para garimpar oportunidades, mirando em companhias de qualidade, com balanços sólidos e perspectivas favoráveis de resultados ao longo do tempo.

A guinada positiva do mercado em agosto sofreu um baque no início de setembro diante do acirramento da tensão entre Poderes em meio às manifestações de 7 de Setembro. Na sequência, uma Carta à Nação do presidente Jair Bolsonaro com carimbo do ex-presidente Michel Temer apaziguou a tensão política. No entanto, logo depois a aversão ao risco no exterior, notadamente na China, voltou a assombrar os mercados.

O risco de colapso de uma das gigantes do setor imobiliário chinês, a Evergrande, levou investidores em todo o mundo a fugirem do risco, vendendo ações de emergentes, como o Brasil, que sofrem também a reboque do tombo das cotações de commodities metálicas, como o minério de ferro, que já está 60% mais barato em relação às máximas recentes. Por ora, não há sinalização concreta da estabilidade da Evergrande, mas parece improvável a inação de Pequim em caso de um evento crítico, uma vez que o mercado imobiliário responde por algo em torno de 20% do PIB daquele país.

Já no âmbito interno, há fatores de risco de piora das projeções econômicas, com inflação alimentada pela crise hídrica, além de dificuldades da agenda de reformas. Neste sentido, os analistas preferem ações de empresas que dispõem de um panorama microeconômico bastante promissor, capaz de superar momentos de instabilidade.

“O que se conclui deste retrato é que não há motivos para desespero, mas podemos já estar distantes dos picos de euforia observados no primeiro semestre de 2021. Afinal, se ainda existem boas oportunidades de compra na bolsa brasileira, ao mesmo tempo vale a máxima de que nem tudo que reluz é ouro”, afirma o time da Levante, em relatório.

E, neste contexto, há 3 Ações que os analistas da Levante gostam para COMPRAR agora.

Clique aqui para baixar o relatório com as 3 Ações recomendadas para o momento.