Em ogxpetroleo

O fim? Ex-OGX de Eike Batista agora não produz mais nem uma gota de petróleo

O campo de Tubarão Martelo é o principal ativo e o último em produção da companhia, que está em recuperação judicial

Eike de macacão e capacete
(Ricardo Moraes/Reuters)

SÃO PAULO - A OGPar (OGXP3), antiga OGX Petróleo fundada por Eike Batista, informou na manhã desta segunda-feira (7) que interrompeu temporariamente no dia 5 de março sua produção no campo de Tubarão Martelo em um processo que pode demorar até um ano. Com isso, a companhia que já pensou em ser maior que a Petrobras agora não produz mais nem uma gota de petróleo. 

"Em 03 de março de 2016, a ANP autorizou a interrupção temporária da produção do Campo de Tubarão Martelo, pelo período de um ano a partir da autorização. A agência destaca ainda que a retirada do FPSO OSX-3 somente poderá ocorrer após a aprovação do Programa de Desativação das Instalações da Garantia de Desativação e Abandono do Campo TBMT e a apresentação de resultados dos estudos para redesenvolvimento do Campo TBMT, em até 60 dias antes do término do prazo da suspensão", informou a empresa.

De acordo com a OGPar, a paralisação do Campo de TBMT por até um ano permitirá que, durante este período, possa se avaliar a melhor maneira de retomar a produção do referido campo, considerando a utilização de novas tecnologias e viabilidade econômica do ativo.

O campo de Tubarão Martelo é o principal ativo e o último em produção da companhia, que está em recuperação judicial. Em janeiro, o campo produziu um total de 283,8 mil barris, com média diária de 9,1 mil barris.

InfoMoney faz atualização EXTRAORDINÁRIA na Carteira Recomendada; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

Contato