Processo enxugado

Walmart contrata 25 mil nos EUA em 1ª semana de novo programa

Maior empregador do setor privado dos EUA tenta manter as prateleiras cheias e funcionários nos caixas

(Bloomberg) — O Walmart contratou 25 mil pessoas e abriu outras milhares de vagas nos Estados Unidos na primeira semana de um programa de contratações. Em meio à pandemia de coronavírus, o maior empregador do setor privado dos EUA tenta manter as prateleiras cheias e funcionários nos caixas.

A varejista encurtou o processo de contratação, que geralmente pode levar duas semanas, para apenas três horas, tendo eliminado entrevistas formais e ofertas de emprego por escrito. Com isso, gerentes das lojas têm autoridade para fazer ofertas verbais imediatamente, de acordo com Dan Bartlett, vice-presidente executivo de assuntos corporativos. Candidatos incluem estudantes do ensino médio e universitários, além de pessoas que perderam o emprego em restaurantes e hotéis.

Na semana passada, o Walmart prometeu contratar 150 mil trabalhadores que são pagos por hora, o que representa um aumento de 10% da força de trabalho nos EUA em meio à rápida mudança na economia devido à pandemia de coronavírus.

PUBLICIDADE

O número de americanos que pediram seguro-desemprego saltou para um recorde de 3,28 milhões na semana passada. Embora as demissões nos setores de serviços tenham aumentado muito em resposta à queda da demanda, varejistas como Walmart e Amazon.com estão contratando para atender ao forte aumento do tráfego. A Target disse nesta semana que as vendas comparáveis de itens essenciais de consumo diário, alimentos e bebidas aumentaram mais de 50% no acumulado de março.

Bartlett disse que mais pessoas têm procurado emprego. Segundo ele, as lojas podem fazer a triagem nas próprias unidades, sem precisar de autorização de gerentes regionais para acelerar o processo.

Esse processo acelerado funcionou para Jabren Thompson, de 16 anos, residente em Boise, Idaho, que foi contratado para descarregar caminhões e ganhar US$ 11 por hora. Thompson, que anteriormente alimentava gado em uma fazenda com salário de US$ 10 por hora, disse que sentiu se “muito bem-vindo” por seus novos colegas de trabalho.

Nem todos funcionários do Walmart estendem o tapete de boas-vindas para Thompson e seus colegas novatos. Stacy Rowback, funcionária do Walmart em Gloversville, Nova York, que faz parte da United for Respect, um grupo de defesa do trabalho com foco no Walmart e Amazon, disse que os novos contratados estão lá “para fazer nosso trabalho”. Em vez de contratar mais pessoas, o Walmart deveria oferecer mais horas aos funcionários em meio período, disse.

Bartlett disse que isso está acontecendo e que a varejista tem dado prioridade aos funcionários existentes que queiram trabalhar mais horas antes de fazer contratações.

Aprendizados em tempos de crise: uma série especial do Stock Pickers com as lições dos principais nomes do mercado de ações. Assista – é de graça!