Projeções

Vale reduz investimentos e prevê produção menor em 2013

Investimentos neste ano devem ficar em US$ 17,5 bilhões e caem para US$ 16,3 bilhões no próximo

SÃO PAULO – A Vale (VALE3, VALE5) tem um orçamento de US$ 16,3 bilhões para investimentos e pesquisas e desenvolvimento, revelou a mineradora em comunicado ao mercado nesta segunda-feira (3).

O número se divide em US$ 10,1 bilhões para executar projetos, US$ 5,1 bilhões para manter as operações existentes e mais US$ 1,1 bilhão em P&D (Pesquisa & Desenvolvimento). Segundo relatório do Barclays, revelado na semana passada, a projeção é para um plano de investimentos ao redor de US$ 15 bilhões.

Para este ano, a meta anunciada ainda em 2011 era de US$ 21,4 bilhões, que se divide em US$ 12,9 bilhões para executar novos projetos, US$ 6,1 bilhões para sustentar as atuais operações e mais US$ 2,4 bilhões em P&D. Apesar disso, a companhia revelou nesta manhã que esses gastos deverão atingir apenas US$ 17,5 bilhões neste ano – que também foi colocado como o teto para os próximos anos -, abaixo dos US$ 18,0 bilhões do ano anterior.

“As perspectivas de uma expansão moderada da demanda global por minérios e metais no médio prazo requerem rígida disciplina na alocação de capital e maior foco em maximizar eficiência e minimizar custos”, justifica a companhia, ao dizer que a prioridade mudou de crescimento marginal de volume para volumes com eficiência de capital.

No mesmo documento, a companhia prevê uma produção de 306 milhões de toneladas de minério de ferro. Nos noves primeiros meses deste ano, a produção da commodity foi de 234,4 milhões, sendo que em 2011 o número foi de 322,6 milhões. No fim do ano passado, a empresa esperava produzir 312 milhões de toneladas de minério de ferro neste ano.

A empresa realizará um encontro com investidores em Nova York nesta segunda-feira, com transmissão ao vivo pelo site da companhia. Uma coletiva de imprensa está marcada para as 16h (horário de Brasília), e os analistas do Barclays preveem que a mineradora dará mais clareza sobre venda de ativos. “Nós também não nos surpreenderíamos em ouvir a Vale falando sobre trazer parceiros, diluindo o capex, mitigando riscos etc.”