Exclusivo: Tok&Stok demite executivos e fundadora volta à diretoria

Segundo fonte, empresa estima fechar 17 lojas em grandes capitais enquanto busca reestruturar dívida estimada em R$ 600 milhões

Rikardy Tooge

Publicidade

A Tok&Stok fez uma reformulação em sua administração na última quarta-feira (12), demitindo três diretores e marcando o retorno da fundadora Ghislaine Dubrule à direção executiva da companhia, apurou o InfoMoney.

Procurada, a Tok&Stok não quis comentar. A reportagem questionou a SPX Capital, gestora que cuida dos investimentos da Carlyle no Brasil – esta controladora da Tok&Stok –, que ainda não respondeu. Também tentamos contato com os executivos envolvidos.

Os diretores demitidos cuidavam da parte operacional da empresa, como a gestão de lojas e logística. Uma fonte afirmou que Dubrule assumirá a função de diretora de lojas, em um organograma que ainda está sendo desenhado pela administração. Além de mudanças no comitê executivo, outros quatro diretores regionais também foram dispensados.

Continua depois da publicidade

“Os últimos meses foram marcados por importantes decisões e intensas mudanças no negócio, com o objetivo de tornar a Tok&Stok ainda mais eficiente e preparada para o cenário macroeconômico atual e desafios futuros. Como reflexo dessas decisões e de forma estratégica, o nosso comitê executivo foi restruturado [sic]”, escreveu a Tok&Stok, em comunicado enviado aos funcionários.

Também de acordo com a fonte, existe a previsão para o fechamento de 17 lojas em diversas capitais: Fortaleza, Teresina, Recife, Natal, Vitória, Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. Em reportagem da Bloomberg publicada na quarta, a Tok&Stok havia confirmado o fechamento de duas unidades em Fortaleza e uma em Porto Alegre.

As decisões ocorrem no contexto da reestruturação financeira que está em curso na Tok&Stok. A varejista possui dívidas estimadas em R$ 600 milhões e, em fevereiro, contratou a consultoria Alvarez & Marsal para trabalhar no reperfilamento do passivo.

Também existiram conversas para uma fusão entre Tok&Stok e Mobly (MBLY3), segundo divulgou a própria Mobly em fato relevante. Desde então, não houve novidades sobre a transação.

A Tok&Stok tem como seus principais acionistas os fundos internacionais geridos pela Carlyle via SPX Capital e a família Dubrule.

Rikardy Tooge

Repórter de Negócios do InfoMoney, já passou por g1, Valor Econômico e Exame. Jornalista com pós-graduação em Ciência Política (FESPSP) e extensão em Economia (FAAP). Para sugestões e dicas: rikardy.tooge@infomoney.com.br