Tecnologia

TikTok e WeChat serão banidos das lojas de aplicativos nos EUA a partir de domingo

Os apps chineses foram alvos de uma ordem executiva assinada pelo presidente Donald Trump, que proíbe empresas americanas de fazer negócios com eles

Logo Tik Tok
(Getty Images)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O departamento de Comércio dos Estados Unidos anunciou nesta sexta-feira (18) que vai proibir, a partir deste domingo (20), o download dos aplicativos TikTok e WeChat no país.

O banimento cumpre a ordem executiva assinada pelo presidente americano, Donald Trump, no dia 6 de agosto, que proíbe empresas ou qualquer cidadão do país de fazer negócios com a Tencent (controladora do WeChat), e a ByteDance, do TikTok. Trump deu um prazo de 45 dias para que o TikTok vendesse suas operações no país para uma empresa dos EUA. 

O anúncio acontece antes do aval do presidente americano, esperado ainda para essa sexta-feira, sobre a aprovação do acordo para a Oracle assumir uma participação minoritária no TikTok e se tornar um “parceiro de tecnologia confiável” para a empresa nos Estados Unidos.

Aprenda a investir na bolsa

Segundo à rede CNBC, a medida seria uma tentativa de Trump fazer prevalecer a sua vontade inicial de que o TikTok fosse totalmente controlado por uma empresa americana. 

Sob a orientação do presidente, tomamos medidas significativas para combater a coleta maliciosa de dados pessoais de cidadãos americanos pela China, ao mesmo tempo que promovemos nossos valores nacionais, normas baseadas em regras democráticas e aplicação agressiva das leis dos EUA”, disse o departamento americano em um comunicado.

Donald Trump justificou a ação afirmando que a empresa representa um risco à segurança nacional. Nas ordens, ele diz que as coleta de dados do TikTok e WeChat poderiam “permitir ao Partido Comunista Chinês acesso às informações pessoais e proprietárias dos americanos”, concedendo à China a possibilidade de rastrear a localização de funcionários federais, criar dossiês com informações pessoais para chantagem e conduzir espionagem corporativa. Entenda mais sobre a guerra tecnológica protagonizada pelo TikTok, envolvendo China e EUA.

As empresas americanas serão proibidas de distribuir os aplicativos a partir deste domingo, o que significa que as duas principais lojas de aplicativos móveis, como a Apple Store e a Play Store, do Google, terão que remover os aplicativos de suas bibliotecas.

A restrição também veta que as empresas americanas forneçam serviços “com a finalidade de transferir fundos ou processar pagamentos dentro dos EUA” por meio do WeChat. 

O TikTok entrou com uma ação na Justiça americana, no dia 24 de agosto, para derrubar a medida – argumentando que o governo dos EUA ignorou seu Estado de Direito na implementação da ordem executiva assinada pelo presidente americano no início do mês.

PUBLICIDADE

Em uma entrevista à Fox Business na sexta-feira, Wilbur Ross, secretário de Comércio dos Estados Unidos, disse que as proibições afetarão o TikTok e o WeChat de maneira diferente no início. Ele afirmou que o TikTok ainda funcionará para quem tem o app instalado em um dispositivo, mas os usuários não poderão atualizar o aplicativo.

Sobre o WeChat, que possui 19 milhões de usuários no país, não está claro como as restrições irão acontecer com o aplicativo. 

O anúncio estabelece dois prazos diferentes para os aplicativos chineses, com a proibição total do WeChat entrando em vigor no domingo, juntamente com a proibição de atualizações e manutenção do aplicativo em lojas online do TikTok.

O governo anunciou um prazo até o dia 12 de novembro antes que as empresas americanas sejam proibidas de fornecer serviços de nuvem e internet para o TikTok. Esse prazo dará mais tempo a companhia chinesa e sua parceira no país, a Oracle, de construir melhor seu plano de desenvolvimento de negócio no país e entrar em acordo com o presidente Donald Trump.

Negócio quase fechado

A ByteDance fechou um acordo com a Oracle e apresentou ao Departamento do Tesouro dos EUA revisões sobre a operação do negócio no país com o objetivo de abordar questões de segurança dos usuários americanos, segundo informações da Bloomberg. O acordo ainda depende da aprovação do governo americano e chinês.

Na proposta, a ByteDance ficaria com a maior parte do TikTok, enquanto Oracle, Walmart e investidores de capital de risco, como a General Atlantic e a Sequoia Capital, teriam participações minoritárias da empresa.

A ByteDance também planeja abrir o capital do TikTok, numa oferta pública inicial (IPO) na bolsa de valores dos Estados Unidos. A Oracle teria uma participação minoritária que será inferior a 20% do novo TikTok global, segundo informações da CNBC. A rede Walmart também teria uma participação no negócio.

Em meio ao imbróglio envolvendo o TikTok e o aumento da tensão entre China e Estados Unidos, o fluxo de investimentos entre os dois países caiu para o menor nível desde 2011.

PUBLICIDADE

O investimento, tanto feito diretamente por empresas quanto fluxos de capital de risco, reduziu em 16,2%, para US$ 10,9 bilhões (R$ 58 bilhões), no primeiro semestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo informações da consultoria Rhodium Group.

Além da pandemia de coronavírus que afetou diretamente o volume de investimento feito, o relatório cita as restrições tecnológicas impostas pelo governo Trump como um dos motivos para a diminuição do volume de negócio feito entre as duas potências.

“Em um momento de crescente desconforto com a integração de tecnologias EUA-China, inúmeras outras empresas – tanto as empresas chinesas que operam nos EUA quanto as empresas norte-americanas com presença na China podem ser forçadas a desinvestir”.

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.