Foodtech

Startup chilena vegana apoiada por Jeff Bezos quer ser um unicórnio

A empresa tem fundos para este ano e só levantará recursos antes disso para atingir suas metas mais rapidamente, disse seu diretor-presidente

Maionese vegana da The Not Company (Divulgação)
Maionese vegana da The Not Company (Divulgação)

Com a explosão das vendas globais de alimentos de origem vegetal, uma startup chilena atraiu o interesse do fundador da Amazon.com, Jeff Bezos, e agora mira um valor recorde.

A NotCo SpA., fabricante do leite vegano NotMilks vendido nas lojas Whole Foods da Amazon nos Estados Unidos, está determinada a alcançar o status de “unicórnio” em sua próxima rodada de financiamento, ou um valor estimado de US$ 1 bilhão.

A empresa destaca a perspectiva de quadruplicar as vendas e de quintuplicar os volumes em 2021 como base para o que poderia ser o triplo de seu valor atual, que alguns relatórios estimam em mais de US$ 300 milhões.

A empresa tem fundos para este ano e só levantará recursos antes disso para atingir suas metas mais rapidamente, disse o diretor-presidente da empresa, Matias Muchnick, em entrevista.

“Tem que ser para um valuation de US$ 1 bilhão”, disse Muchnick. “Não vamos sair daí.”

O otimismo da NotCo sobre seu valor potencial não é atípico no setor de proteínas alternativas, que recebeu muitos investimentos nos últimos anos. As preocupações com os impactos ambientais da carne impulsionaram um boom dos produtos ricos em proteínas à base de plantas, especialmente hambúrgueres fake e imitações de leite. As vendas globais giram em torno de US$ 35 bilhões, disse Nick Cooney, sócio-gerente da Lever VC, que investe no setor, e vários unicórnios já surgiram.

A fabricante de hambúrgueres veganos Impossible Foods está avaliada em cerca de US$ 6 bilhões, enquanto a Just Inc., que fabrica substitutos de ovos à base de plantas, vale US$ 1 bilhão, disse Cooney. A Oatly ganhou as redes de café nos EUA com leite de aveia em 2018 e, mais recentemente, levantou US$ 2 bilhões. A empresa anunciou planos para uma oferta pública inicial com meta de US$ 10 bilhões.

O Nubank, maior startup privada da região, agora está avaliado em US$ 25 bilhões, enquanto o aplicativo de entrega colombiano Rappi tem valor de pelo menos US$ 3,5 bilhões. O provedor de pagamentos dLocal se tornou o primeiro unicórnio do Uruguai, enquanto no México a plataforma de carros usados Kavak alcançou valor de US$ 1,1 bilhão.

Se a NotCo tiver sucesso, será novidade no Chile. O maior acordo de uma startup no Chile até agora foi a venda em 2019 do controle da empresa de entrega de alimentos online Cornershop, de Santiago, para a Uber Technologies por US$ 459 milhões.

PUBLICIDADE

A NotCo, fundada em 2015 por Muchnick, Karim Pichara e Pablo Zamora, captou US$ 120 milhões em três rodadas de financiamento. Entre seus investidores estão a Bezos Expeditions, de Jeff Bezos, Catterton Partners, Kaszek Ventures, o cofundador do Twitter, Biz Stone, e o The Craftory, braço de investimentos do 3G, entre outros.

Muchnick aposta que o rápido crescimento da empresa justificará a avaliação e uma potencial oferta pública inicial de ações em 2023.

Por causa de acordos de confidencialidade, Muchnick não quis dizer quanto a empresa planeja vender este ano.

A NotCo usa inteligência artificial para analisar estruturas moleculares e encontrar novas combinações de ingredientes vegetais. Seus produtos incluem o substituto de maionese NotMayo, o NotIceCream, o NotMilk e o NotBurger.

A NotCo já está presente nos mercados da Argentina, Brasil e Estados Unidos, terceirizando as atividades de produção para fornecedores locais de alimentos. Está em negociações com supermercados do Canadá para vender o NotMilk, e também pretende entrar na Colômbia, México e Peru.

Transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos é possível. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.