Corrida pelas vacinas

Sputnik V: Rússia envia à OMS pedido de aprovação emergencial da sua vacina contra a covid-19

O imunizante foi batizado de Sputnik V, em homenagem ao primeiro satélite artificial do mundo a ser lançado com seres vivos que voltaram a salvo

(Pexel)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Fundo Russo de Investimentos Diretos, fundo estatal russo que coordena a produção da vacina Sputnik V, apresentou nesta terça-feira (27) um pedido para um registro de aprovação emergencial do imunizante russo à Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo Kirill Dmitriev, diretor do fundo, a aprovação do uso emergencial da vacina “permitirá que a Sputnik V seja incluída na lista de produtos médicos que atendem aos principais padrões de qualidade, segurança e eficácia.”

O Fundo Russo de Investimentos Diretos apresentou um pedido de inclusão do imunizante na Lista de Uso de Emergência, que faz parte do Programa de Pré-qualificação da Organização das Nações Unidas (ONU). Esse é o único programa global de garantia de qualidade de medicamentos que é coordenado pela OMS, agência que faz parte da ONU.

Aprenda a investir na bolsa

A vacina russa tem previsão de ser produzida e testada em fase 3 no Brasil, em uma parceria firmada com o estado do Paraná.

As duas vacinas russas

A Rússia registrou a primeira vacina contra a covid-19 do mundo em meados de agosto. A Sputnik V está sendo desenvolvida pelo Instituto Gamaleya (Moscou). O imunizante foi batizado de Sputnik V, em homenagem ao primeiro satélite artificial do mundo a ser lançado com seres vivos que voltaram a salvo. O Sputnik V foi lançado pela União Soviética no auge da Guerra Fria, em 1960.

Há cerca de duas semanas, o país aprovou a segunda imunização para a doença, a EpiVacCorona, desenvolvida pelo Instituto Vector (Sibéria).

Segundo informações da agência de registro de fármacos da Rússia, a vacina usa uma técnica de imunização desenvolvida inicialmente para prevenir o Ebola.

Até então, a vacina foi testada em poucos voluntários. O governo estuda a ampliação de testes, embora nenhuma data tenha sido divulgada.

Desde o início da pandemia, a Rússia já registrou 1,5 milhão de infecções pelo novo coronavírus. É o quarto maior número de casos mundiais, só atrás dos Estados Unidos, da Índia e do Brasil. O país conta com 26 mil óbitos em decorrência da covid-19.

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

PUBLICIDADE