Sucroalcooleira

Small cap vê dívida crescer R$ 1 bilhão em um ano com disparada do dólar

O motivo para o crescimento do endividamento foi a forte desvalorização do real contra o dólar, de 41,8%, durante o ano fiscal de 2015, comentou a empresa

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Biosev (BSEV3), segunda empresa do setor de açúcar e álcool a divulgar seu balanço esse mês, viu seu endividamento bruto crescer R$ 1 bilhão no ano fiscal de 2015, para R$ 6,3 bilhões. No resultado, a empresa diz que o motivo foi forte desvalorização do real frente ao dólar, de 41,8%, no período.

Apesar do impacto da variação cambial no endividamento, a empresa encerrou o quarto trimestre do ano fiscal de 2015 com receita líquida de R$ 1,459 bilhão, crescimento de 71,2% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado. No ano, a receita líquida cresceu 5,8%, para R$ 4,513 bilhões.

A companhia conseguiu reduzir em 47,2% seu prejuízo líquido na comparação trimestral, para R$ 383,7 milhões, assim como as perdas no acumulado do ano, que caíram 39,3%, para R$ 668,9 milhões no ano fiscal de 2015. 

Aprenda a investir na bolsa

No resultado, a companhia diz que a variação cambial foi de R$ 615 milhões negativos contra R$ 184 milhões negativos registrados na safra anterior, impactando fortemente o resultado financeiro do período.

A Biosev é a segunda empresa do setor a reportar seu resultado fiscal de 2015. Na primeira semana de junho foi a vez da Tereos (TERI3), que viu seu prejuízo entre janeiro e março deste ano crescer 1.225% em relação ao mesmo período de 2014, saltando de R$ 8 milhões para R$ 106 milhões.