Promotores franceses fazem buscas em unidade da General Electric em investigação de fraude fiscal, diz AFP

A empresa também tem enfrentado pressão de sindicatos depois de cortar centenas de empregos devido à queda na demanda por turbinas a gás

Reuters

Logo da General Electric 05/02/2019 REUTERS/Vincent Kessler

Publicidade

(Reuters) – Promotores franceses revistaram, nesta quinta-feira, a unidade industrial do conglomerado norte-americano General Electric no leste da França como parte de uma investigação sobre alegações de que a empresa evadiu milhões de euros em impostos ao transferir lucros para o exterior, informou a agência AFP.

A investigação fiscal foi iniciada depois que Fabien Roussel, chefe do Partido Comunista da França, disse às autoridades em julho de 2019 sobre suas “suspeitas de otimização e fraude fiscal” da empresa, segundo a agência.

A GE e a Promotoria Financeira Nacional da França não responderam de imediato a pedidos de comentários da Reuters.

Continua depois da publicidade

As tensões entre os sindicatos e a administração da GE têm sido altas depois que a empresa cortou centenas de empregos na França devido à queda na demanda por turbinas a gás e outros equipamentos de geração de energia, acrescentou a AFP.

Em 2019, a General Electric havia anunciado um plano para cortar cerca de 1.000 empregos na França, principalmente em sua unidade de Belfort, para cortar custos.

O conselho de trabalhadores e os sindicatos do local apresentaram uma queixa em maio do ano passado, alegando que a GE havia transferido 555 milhões de euros de lucro do local de Belfort para a Suíça ou os Estados Unidos, segundo a agência.

Os sindicatos também acusaram a empresa de tentar mostrar que a unidade estava perdendo dinheiro para justificar os cortes de empregos, disse a AFP.

(Reportagem de Gokul Pisharody, em Bengaluru)