Frigorífico

Possível embargo russo às carnes brasileiras derruba ações do Minerva

JBS, Marfrig e Brasil Foods também recuam, ainda que com quedas mais modestas

SÃO PAULO – Sinais de que a Rússia, principal destino da carne bovina “in natura” do Brasil, pode seguir o Japão e suspender a importação do produto pressionam as ações de companhias do setor listadas na Bovespa nesta terça-feira (11).

Por volta de 11h15 (horário de Brasília), os papéis do Minerva (BEEF3) registravam forte baixa de 7,15%, valendo R$ 9,74. Os ativos de JBS (JBSS32,92% , R$ 5,66), Marfrig (MFRG31,51%, R$ 8,50) e Brasil Foods (BRFS30,31%, R$ 38,48) também figuravam na ponta negativa, ainda que com quedas mais brandas.

Segundo a imprensa internacional, o porta-voz do órgão russo de fiscalização de saúde animal comentou que o governo do país está analisando o possível embargo, por conta do caso de vaca louca no Brasil. Contudo, na opinião da equipe de análise da Ativa, mesmo com a decisão japonesa, o risco de uma restrição mais generalizada é um cenário pouco provável.

Isso porque, de acordo com os analistas, a OIE (Organização Mundial de Saúde Animal, na sigla em inglês) manteve sua posição de risco insignificante para a doença da carne brasileira e o segmento nacional se mostra atualmente muito competitivo, com maior oferta de gado e melhores preços.

Entenda o caso
Na última sexta-feira, o Japão suspendeu as compras de carne brasileira alegando a comprovação de contaminação pelo agente causador da doença da vaca louca. O embargo aconteceu após o Brasil ter comprovado a presença do agente da doença em análises dos restos de uma fêmea bovina morta no Paraná, em 2010.

O governo notificou a OIE (Organização Mundial de Saúde Animal, na sigla em inglês). Mas o organismo internacional manteve a classificação brasileira como “país de risco insignificante” para o causador da doença.

Minerva: o mais afetado
Apesar da avaliação da OIE ser positiva e o Japão ter pouca relevância nas importações brasileiras de carne (cerca de 1% do volume total), o caso ainda não foi esclarecido entre as autoridades. Por conta disso, a Ativa vê a notícia como negativa para as empresas do setor, principalmente para os papéis do Minerva, por ser um player especificamente de carne bovina.

Para os analistas, as ações de JBS e Marfrig também sofrerão com a maior volatilidade, enquanto a Brasil Foods não será tão afetada, por ter uma parte pequena (aproximadamente 9%) de sua receita proveniente desse segmento.